2/01 – Estágio 1 – Asunción > Resistencia

Motos, Quadris, UTVs, Carros e Caminhões
Especial: 39 km
Total: 454 km

Aquecendo os motores!

A distância não será a maior preocupação  dos concorrentes, mas sim a tensão que os acompanhará nos primeiros dias de prova. Todos terão que estar cientes que um erro nos trechos mais técnicos e de trial poderão custar muito caro. As táticas para conseguir as primeiras posições nos dias seguintes também serão muito importantes para os pilotos.

.

Como foi o dia

O dia com especial curta deixou muito competidor apreensivo com os resultados gerais, que definiriam a posição de largada no dia de amanhã, onde a especial cronometrada tem 275 km num total de 803 km com o deslocamento.

Motos

Os primeiros a largarem de Asunción, no Paraguai, foram as motos. O australiano #01 Toby Price, vencedor no Dakar 2016 e um dos favoritos ao título deste ano, não começou muito bem e terminou a especial na 17ª posição. Melhor para o francês #23 Xavier De Soultrait – YAMAHA, que assumiu a pronta com o tempo de 00:28:20. O brasileiro melhor colocado foi o #164 Ricardo Martins (YAMAHA), fechando o dia na 54ª posição. O gaúcho #158 Gregorio Caselani (HONDA) terminou o dia na 57ª posição, mas agora no final do dia levou um penal de radar e caiu para a 65ª posição. E para fechar a trinca dos brasileiros, seu companheiro de equipe, #159 Richard Fliter fecha o dia em 75º lugar.

Quadris

Nos Quadris, o brasileiro #271 Marcelo Medeiros atropelou os concorrentes e cravou o melhor tempo do dia, com 00:32:53 e confirma que é um dos favoritos ao título. Medeiros é bicampeão do Rally dos Sertões e  participa pela segunda vez no Dakar. Ano passado ele havia sofrido um acidente nas primeiras especiais e ficou impedido de terminar o rally.  Nenhum dos grandes favoritos teve desempenho excepcional no primeiro dia.

O brasileiro Marcelo Medeiros que abandonou no ano passado após um acidente, fez o melhor tempo do dia 33 segundos mais rápido que o segundo colocado. O resultado é histórico para o Brasil, que só tinha vitórias na categoria motos com Jean Azevedo. Apesar do rali estar só começando, uma vitória como a de hoje, da moral e respeito ao Brasileiro. Amanhã a especial será bem mais longa, com 284 km e o Brasileiro terá que manter a calma e ter prudência. Porém já provou que não está de brincadeira e que conforme tínhamos adiantado aqui, irá brigar pelas primeiras posições, comenta Youssef Haddad.

Carros

Nos carros, #301 Nasser Al Attiyah e seu navegador Matthieu Baumel terminaram a especial na frente. Estreando na equipe da Toyota com sua Hilux 4x4, mesmo com um contratempo, um princípio de incêndio no carro,  que obrigou Nasser a reduzir o ritmo nos últimos 10 km de especial, ele cravou o melhor tempo, com 25min41seg.

“Rapidamente alcancei o Stéphane (Peterhansel) mas a cerca de dez quilômetros da chegada, cheirou fumaça dentro do carro, do lado do Matthieu (Baumel) e houve mesmo um pouco de fogo. Desaceleramos para chegar ao final  e apagamos o fogo. Agora o Giniel (de Villiers) vai nos rebocar e vamos ver o que vamos fazer. Não sei o que aconteceu. Espero que o motor não tenha nada, porque vi que perdemos muito óleo. Por isso, podia ter feito um tempo melhor, mas não me importo! O que me preocupa é resolver o problema no carro”, afirmou Nasser ao final da especial.


#311 Xavier Pons/Ruben Garcia fizeram o 2º melhor tempo, superados por apenas 24 segundos. #305 Nani Roma/Alex Haro, também na Toyota Hilux, ficaram com a 3ª melhor marca na etapa inicial. #304 Carlos Sainz/ Lucas Cruz ficou com a melhor posição entre os pilotos da Peugeot – foi o quarto melhor do dia, 33 segundos atrás de Al Attiyah. #302 Giniel De Villiers/Dirk Von Zitzewitz fecharam no quinta posição e #309 Sébastien Loeb, lenda do WRC, com seu navegador Daniel Elena – ficaram com a sexta posição.
O melhor entre os pilotos Mini foi #306 Yazeed Al Rajhi/Timo Gottschalk,  com o 7º lugar na primeira especial. Enquanto isso, #300 Stéphane Peterhansel/Jean Paul Cottret pegaram leve no primeiro dia ficando apenas com a 12ª colocação. Já os brasileiros #339 Sylvio Barros e Rafael Capoani, a bordo de outro Mini, cumpriram bom papel no primeiro trecho cronometrado: a dupla conquistou o 21º lugar, a 3min07seg do melhor tempo – e com performance superior a três outros All4Racing da mesma equipe, a X-Raid.Outros destaques são: #352 Phillippe Croizon, piloto que não possui os 4 membros, termina na 52ª posição com o tempo de 00:35:45, e #360 Cristina Gutierrez Herrero dirigindo seu Mitsubishi termina na 58ª posição, com o tempo de 00:36:57.
UTVs
Nos UTVs, quem se deu melhor foi #347 Tim Coronel que venceu seu irmão gêmeo, #354 Tom Coronel, por apenas 42 segundos de diferença, fazendo a dobradinha dos irmãos no primeiro dia de competição. Porém, agora no final do dia, Tom sofreu um penal de radar e acabou indo para a última posição dos UTVs. O UTV da dupla é um protótipo que usa motor do Suzuki Swift de 1300cc e ambos correm sozinhos no Dakar.
Já os brasileiros #351 Leandro Torres e Lourival Roldan foram muito atrapalhados por outros carros no trecho e andaram na poeira de outros dois competidores desde a metade da especial até o fim, perdendo um tempo precioso no dia. Mesmo com este contratempo, mandaram muito bem e fizeram um sexta lugar com 2min12seg do líder, e com o penal sofrido pelo Tom Coronel, acabaram herdando uma posição na geral ficando em 5º lugar no final do dia.

Atualização: Os irmãos Coronel são desclassificados da categoria UTV. Leia aqui