5/01 – Estágio 4 – San Salvador de Jujuy > Tupiza

Motos, Quadris, UTVs, Carros e Caminhões
Especial: 416 km
Total: 521 km

Dunas de alta altitude

Em cerca de 3.500 metros, o Dakar vai chegar a “uma altitude de cruzeiro”, dos quais os competidores terão que navegar por seis dias. Poucos participantes já viram dunas nesta altitude, o que exigirá uma técnica especializada. Os navegadores não terão tempo para relaxar, com uma série de mudanças de direção na seção boliviana da fase especial.

O dia

Dakar, difícil para todos e mal começou!

Nas motos

Se a especial de ontem tirou um grande favorito entre os carros, Nasser da Toyota, o dia de hoje fez o mesmo com um piloto de moto, Toby Price, atual campeão do Dakar, ele caiu na parte final da prova, quando liderava a especial e com isso esta fora dessa edição. Sorte para J. Barreda, piloto da Honda que teve a difícil missão de abrir a especial de hoje e com grandes méritos fez o segundo melhor tempo e se mantem forte na luta pelo título, com 22 minutos de vantagem para o segundo no acumulado, será que esse ano a Honda ganha???

O português Paulo Gonçalves, relatou em suas redes sociais que ele parou para socorrer Price.

“Hoje foi um dos dias mais difíceis, com muita navegação. No início da etapa tive alguma dificuldade em encontrar um waypoint e com isso perdi algum tempo. Depois consegui impor um bom ritmo, mas já na fase final, na entrada na Bolívia, parei para ajudar o Toby Price que estava ferido. Esperei que viesse o helicóptero, acredito que me vão devolver o tempo em que estive parado. As corridas são muito mais que resultados quando estão em risco as nossas vidas. Estamos aqui para fazer o melhor possível, obviamente, é para isso que nos preparamos ao longo do ano, há participantes com objetivos maiores do que outros, mas primeiro está a nossa vida! É importante seguir concentrado e não cometer erros. As rápidas melhoras para o Toby que sem dúvida alguma irá fazer muita falta a esta corrida pelo grande piloto que é.” Paulo Gonçalves

Toby Price fratura o fêmur e abandona o Dakar 2017

.

Os brasileiros das motos, Richard Fliter vem fazendo um rali muito bom, constante, dentro do seu objetivo e terminou hoje em 68º, estando em 64º no acumulado. Ricardo Martins que ontem foi penalizado em 1 hora por perder um waypoint, fez hoje o 74º tempo, enquanto Gregório Caselani, vem tendo mais um dia complicadíssimo e ainda não completou a especial.

Nos carros

O Dakar é difícil para todos, hoje logo no início a experiente dupla Peterhansel e Cottret cometeu um erro de navegação, permitindo que Sainz e Cruz passassem a abrir a especial dos carros, espanhóis que vinham bem colocados até muito perto do fim, quando ficaram enroscados em um barranco, perdendo com isso um longo tempo.

Quem se deu muito bem foi a dupla Cyril Despres e David Castera, que venceram o dia praticamente de ponta a ponta, sendo a terceira dupla da Peugeot a ganhar especiais esse ano, eles provam que largar atrás as vezes é uma grande vantagem, pois minimiza a chance de erros de navegação e de atolar, afinal onde você vê alguém enroscado, você desvia.

Em segundo, a longos 7 minutos, a dupla da Mini, Hirvonen e Perin, em mais uma excelente jornada, seguidos da dupla da Toyota, Nani Roma e Bravo, comprovando toda a qualidade do piloto espanhol em trechos fora de pista, afinal pra quem já ganhou o Dakar nas motos, ler terreno é com ele mesmo.

Em quarto lugar no dia, Peterhansel, pagando pelo erro lá do inicio da especial e fechando o Top 5, Loeb e Daniel, a 22 minutos do líder, fruto também de tempo perdido na parte inicial do dia.

Na classificação acumulada, Despres surpreendentemente assume a ponta a 4 minutos de Peterhansel e esse por sua vez a 1 minuto do Hirvonen, seguido de perto por Loeb e Roma. Em resumo, 3 Peugeot, 1 Mini e 1 Toyota, todos dentro dos mesmo 10 minutos e colocando 26 no sexto. Ou seja, a luta pela vitória esta afunilando, porém falta muito rali pela frente.

Os brasileiros Sylvio e Capoani, apesar de atolarem no inicio da prova, tiveram mais um ótimo dia hoje, terminando em 15º, a 1 hora e 8 minutos do vencedor da etapa, em dia de recuperação após aparecerem em 28º em uma das parciais. No acumulado, estão num excelente 11º lugar.

Nasser Al-Attiyah, que ontem surpreendeu a todos dando um “jeitinho” na sua Toyota depois de um acidente durante a especial e terminou o dia com 2 horas de diferença para o líder, hoje pela manhã era esperado na fila de largada, porém o chefe de equipe, Jean-Marc Fortin, anunciou que, mesmo depois de uma noite inteira de reparos, seu chassi foi dobrado e sem condições para continuar no Dakar. Infelizmente foi confirmada sua saída da competição antes da largada e a esta hora já deve estar chegando em sua casa.

Outra surpresa foi Carlos Sainz, que seguiu na frente até o WP10, marcando um belo 3º lugar, mas no final da especial sofreu um sério acidente e perdeu muito tempo, dando sinais de que até ia abandonar o Dakar naquele momento, mas surpreendeu a todos e terminou a prova com 2:19:31 do líder.

Declaração de Sainz para sua equipe Peugeot Sport:

“Quando correrem tantos riscos podem acontecer estas coisas. Eu tenho um pouco de dor nas costas, na lombar. Foi uma curva que chegou muito rápido e ao frear o carro saiu de lado, toquei o interior e saiu dando voltas, até que caí em uma vala de 10 ou 15 metros, quebrando o radiador do Peugeot  e depois partiu também uma parte do chassi….  Nós saímos empurrando o carro, pusemos na estrada tentando ver se podiam nos rebocar… De todas as formas, mais uma vez perdemos muito tempo no início da etapa. Tivemos que recuperar, recuperar, recuperar e quando corremos tantos riscos também podem acontecer essas coisas. Nós já estamos fora. Não acredito que se possa reparar o carro porque está bastante judiado. Eu, de qualquer forma, não sei se consigo continuar. Vamos ver como é que eu estou das costas porque estou um pouco estragado.” Carlos Sainz

Os irmãos Tim Coronel e Tom Coronel seguem juntos na especial desde o início, onde um vai, o outro vai atrás. O Francês Philippe Croizon largou em 59º hoje e ganhou 30 posições até passar pelo WP10, porém não tem seu tempo confirmado no primeiro WP e pode sofrer penalidade. Até o fechamento desta matéria, ao menos 30 carros estavam com seus tempos computados no último WP11 e não mostravam os tempos de chegada, isto há ao menos 2 horas, como é o caso dos irmãos Coronel e de Croizon.

Nos UTVs

Os brasileiros Leandro Torres e Lourival Roldan, vencedores da especial de ontem, entre os 7 UTVs da prova, seguem hoje em mais um ótimo dia e chegam em primeiro, mais uma vez, com pouco mais de 3 minutos na frente do Chinês Mao Ruijin.

“Amanhã a especial terá 447 km, mais um dia duro, completo e marcado mais uma vez pela altitude e por um grande cordão de dunas na parte final. A previsão é que o carro mais rápido faça a prova em 6 horas, já incluso o tempo do neutro. Apenas 4 dias e tantas reviravoltas de resultado, sendo que os piores dias ainda estão por vir… Isto é Dakar.” Youssef Haddad

Resultados