6/01 – Estágio 5 – Tupiza > Oruro

Motos, Quadris, UTVs e Carros
Especial: 447 km
Total: 692 km

Caminhões
Especial: 438 km
Total: 683 km

Altiplano, esforço máximo!

O Dakar vai instalar-se no Altiplano boliviano. Enquanto os organismos demoram para se aclimatar, a fadiga se instalará. Neste contexto, a grande variedade de terreno torna esta fase uma das mais exigentes. No espírito mais puro do Dakar, a maior dificuldade do dia será caracterizada pelos dois trechos de dunas que complicarão os quilômetros finais da especial.

.

O dia

Navegar é preciso.

Devido ao tempo ruim na Bolívia, a organização resolveu cortar pela metade a especial de hoje. Não porque ficaria difícil para os competidores chegarem ao final da especial, mas para a segurança deles. Se chovesse muito, equipes de resgate, aviões e helicópteros não conseguiriam chegar até o local do acidente, caso acontecesse. Segurança em primeiro lugar!

Nas motos

A vitória de hoje foi do inglês Sunderland da KTM que acertou tudo na navegação e além de ganhar a especial, assumiu a liderança no acumulado. J. Barreda, não está mesmo com sorte, ontem foi penalizado em uma hora por abastecimento em local proibido, após ter chegado em 2º na especial, hoje após iniciar a especial em ótimo ritmo, se perdeu e despencou na classificação.

Para os brasileiros, destaque para Ricardo Martins com sua Yamaha que fez o 33º tempo, o melhor resultado de motos dos brasileiros nessa edição, Richard Fliter fez um bom 54º tempo e Gregório Caselani termina em 99º lugar, enfrentando todas as dificuldades de largar entre as últimas motos e com isso ser rapidamente alcançado pelos primeiros carros.

Nos carros

Sem as dunas do trecho final, que foi cortado, a especial de hoje foi definida principalmente na navegação e para surpresa geral quem se deu bem foi Sebastian Loeb, méritos para seu navegador Daniel Elena, apenas no seu segundo Dakar. Tudo bem que eles chegaram a ter mais de 6 minutos de vantagem para os segundos colocados Nani Roma e Bravo e se perderam, deixando a diferença cair para apenas 44 segundos, mas mesmo assim venceram.

.

Em terceiro lugar Peterhansel e Cottret. Cyril Despres, vencedor de ontem, 10 minutos mais lento que os líderes, ficou em quarto. Em quinto a surpresa do dia, Dumas com um Peugeot modelo de 2016. O curioso de hoje foi ver Von Zitzewitz, navegador do De Villiers e Michel Perin, navegador do Hirvonen, se perderem, o que mostra que experiência e títulos não blinda ninguém de cometer seus erros, prejuízo enorme para ambos, que foram vistos muito longe do eixo principal da especial, com isso ficam bem mais distantes da briga pelo título.

Por falar em título, novas mudanças no acumulado, quem assume a liderança é Peterhansel e Cottret, seguidos de muito perto por Loeb, Despres e Nani Roma respectivamente. Três Peugeot e uma Toyota separados por apenas 5 minutos se afunilam na briga pelo título.

Será que Roma e sua Toyota, serão capazes de enfrentar os leões? Muito difícil, mas o espanhol é muito bom na areia e pode ser uma surpresa.

Sylvio de Barros e Rafael Capoani, não tiveram um dia fácil, concluindo a especial em 29º lugar e com isso caindo para 14º lugar no acumulado, uma posição ainda muito boa.

O melhor dos Minis de hoje foi o argentino Terranova, com um 8º lugar na geral do dia. Os irmãos Tim Coronel e Tom Coronel se distanciaram hoje e apenas o #347 Tim Coronel terminou a prova, seu irmão já teve problemas logo no início da especial e até agora passou apenas pelo WP2 com mais de 4 horas de atraso. O Francês Philippe Croizon terminou a especial em 54º, mesma colocação da sua largada.

Nos UTVs

Hoje o dia foi bom mesmo para Leandro Torres e Lourival Roldan. Ontem eles haviam chegado em primeiro lugar, mas com um penal de 30 segundos que tomaram e um bonus que o chinês Mao Ruijin levou na correção dos tempos, acabou a 4º etapa invertendo as ordens, Leandro e Lourival em 2º e o chinês Ruijin em primeiro. E hoje mais uma vez Leandro e Lourival chegaram em segundo, mas a boa notícia é que o chinês Mao Ruijin, primeiro na geral, se perdeu feio no início da prova e acabou chegando com mais de 2 horas de atraso em relação os primeiros. Assim, quem assume a liderança do Dakar nos UTVs é Leandro Torres e Lourival Roldan, e somam o tempo de 2:34:04 na frente do segundo colocado, Ruijin.

.

“A especial de hoje foi reduzida para apenas 219 km, considerando os 447 previstos, a razão dada pela organização foi de que as condições climáticas no segundo trecho da especial impossibilitava os helicópteros de resgate voarem, justo o trecho que teriam as dunas. Melhor não correr riscos. Sem querer, pode ter sido um alívio da organização, já prevendo o dia de amanhã. Esse sim, previsto um dos mais difíceis dessa edição, com 527 km de muitas dunas e dificuldades, dia típico de especial pré dia de descanso, onde o primeiro carro tem tempo previsto de mais de 5 horas e que muitos vão dormir nas areias, chegando a La Paz, apenas no dia seguinte.” Youssef Haddad

Resultados