No sábado, dia 07/01, deveria ter acontecido a 6ª etapa, de Oruro até La Paz na Bolívia, mas foi cancelada pela ASO.

Em função das fortes chuvas que castigaram a noite de sexta-feira, no apoio da Dakar, a organização optou pelo cancelamento da especial.  Com isso os competidores seguiram em deslocamento para La Paz e hoje tiveram um dia de descanso.

A especial que prometia ser uma das mais difíceis dessa edição, com um total de 786km, o seu cancelamento gera um alívio para os bem colocados e um desanimo para quem precisa buscar resultados.

Após esses dois dias parados a Caravana do Dakar começa o caminho de volta para o Sul, com no mínimo 4 especiais muito duras, incluindo Belém – Belém , um dia completo nas dunas de Fiambala.

“Vamos ver o que fazemos com as etapas de segunda e terça-feira”, diz Lavigne, diretor do Dakar e seus colaboradores estudarão o estado do terreno das etapas de amanhã e depois e depois tomar uma decisão sobre o que fazer após as chuvas caídas nas últimas horas. O Serviço Nacional de meteorologia e hidrologia da Bolívia, por outro lado, previu chuvas até terça-feira no ocidente boliviano.” a etapa Oruro-La Paz foi cancelado no sábado porque a pista estava ruim e teriam problemas nos resgates.

E hoje, domingo, a ASO confirma o cancelamento de 162 km dos 322 km da especial de amanhã do Rally Dakar. As justificativas são as mesmas, as chuvas…

“Ou o Dakar chega em um acordo com Chile e Peru para voltar a correr no deserto de Atacama, ou vai ser difícil continuar na América do Sul, em uma época marcada pelas chuvas. Inclusive já existem boatos de que volta para África em 2018…” comenta Youssef Haddad.