10/01 – Estágio 8 – Uyuni > Salta

Motos, Quadris, UTVs, Carros e Caminhões
Especial: 492 km
Total: 892 km

Uma descida lisa e colorida

O Dakar vai deixar o altiplano para uma etapa off-road especial na sua primeira metade, onde a travessia de vales seguirá os trechos de dunas. A corrida tem muitas vezes montado acampamento em Salta, mas nunca teve uma fase tão especial na região, onde a batalha para a classificação geral poderá ser jogada fora nos novos cânions, que devem ser admirados como um casamento de cores espetaculares.

O dia

O dia começa, mais uma vez, com a redução da especial pela organização.

Um rio transbordado no início da especial de hoje obrigou a ASO, organização do Dakar, a reduzir em 75km a especial cronometrada do dia. Mesmo assim será a etapa mais longa do Dakar com 992 km no total, saindo da Bolívia e chegando novamente na Argentina.

Ao chegar no CP2, km 171, a corrida seria neutralizada e os pilotos efetuariam um desvio pela tupiza de 176 quilômetros para evitar o rio que transbordou até o km 246,37, onde começaria a segunda parte da especial de 246 Kms que permaneceu inalterada. Os caminhões, por seu lado, concluiriam o trecho cronometrado no km 171, e o restante seria feito em deslocamento.

E assim aconteceu. A não ser por um detalhe: nova interrupção pela organização. Após o neutralizado, uma estrada sofreu um deslizamento, o que obrigou a organização a preparar um plano “C” para a etapa de hoje, criando assim um bivouac improvisado em Tilcara, já que os competidores e equipes de apoio não conseguiriam alcançar o final do dia, em Salta.

 

Nas motos

Nas motos mais uma vitória do espanhol Barreda, piloto Honda, que estaria na briga pelo rali se não fosse a confusa penalização por abastecimento irregular na quinta etapa. Sem se preocupar com isso, Sunderland se mantém liderando a prova, com agora 21 minutos sobre o segundo colocado, Quintanilla. Os Brasileiros completaram mais um dia, Richard Fliter em 57º e Ricardo Martins em 62º.

Nos Carros

“Na natureza os Leões vivem em grupos, liderados por um só macho, o macho alpha, título esse disputado em difíceis e agressivas batalhas. Essa edição do Rally Dakar esta parodiando a natureza, só que os Leões envolvidos são da espécie 3008 DKR. De um lado o Leão mais experiente, antigo líder, acostumado a vencer grandes batalhas, o maior vencedor e sempre perigoso, Peterhansel. Só que agora surge uma ameaça real, um Leão jovem, porém que aprendeu muito rápido, Loeb. Como se não bastasse, ainda tem um terceiro leão, esse ciente que é mais fraco, acompanha de perto a luta entre os mais fortes, sabendo que grandes batalhas podem machucar ambos e com isso o mais fraco pode se tornar o mais forte, Cyril Despres”, analiza Youssef Haddad.

Isso mesmo, a disputa está ficando entre os três leões do Peugeot, hoje a vitória foi da dupla Loeb / Daniel, 3:35 mais rápidos que Peterhansel / Cottret e 5:13 de Despres / Castera. Os “não leões” Hirvonen / Perin e De Villiers / Von Zit completaram os TOP 5. Com isso a classificação acumulada fica com Loeb liderando, seguido de bem perto (1:38) por Peterhansel e já mais distante (17:17) por Despres. Em quarto lugar Nani Roma, o sétimo de hoje e em quinto Hirvonen. Porém ambos não demonstram qualquer condição de desafiar o trio da Peugeot na sequencia do Dakar.

Sylvio de Barros e Rafael Capoani tiveram um bom dia, mesmo com as dificuldades de quem larga lá atrás, com intervalos de 30 segundos, fizeram hoje o vigésimo tempo e se mantiveram em 16* lugar no acumulado.

Nos UTVs

Leandro Torres e Lourival Roldan terminaram a especial com o segundo tempo entre os UTVs, mantendo uma confortável vantagem na liderança da categoria. Agora estão com 1 hora e 35 minutos na frente.

As chuvas continuam castigando o Dakar, uma barreira no roteiro de deslocamento ate o parque de apoio, caiu e com isso a organização teve que “criar” um parque de apoio alternativo, num posto de gasolina, anterior a queda da barreira. Ainda não tem confirmação sobre a especial de amanhã, que a principio será a esperada Super Belém, uma especial de 402 km com 98% de fora de estrada, nas famosas areias da região de Fiambala. Se a especial realmente acontecer, será decisiva e pode embaralhar as classificações. Tomara que ela aconteça, afinal Dakar é isso… Mas… a princípio a especial de amanhã está cancelada!, finaliza Youssef.

Confira o comunicado oficial da ASO, Organização do Dakar:

Um grande deslizamento de terra ocorreu esta manhã às 10 h30 na rota de deslocamento cerca de 40 km ao norte de Jujuy, a 160 km de Salta, atingiu a cidade de Vulcán. Segundo a Segurança Civil da Argentina, existem vítimas no local. A organização do Dakar ofereceu suas instalações sanitárias para reforçar o apoio de segurança no local. Como a estrada corta a especial do dia, a maioria dos veículos, concorrentes, equipes de apoio e logística da caravana de Dakar foram desviados em uma rota alternativa por San Antonio de Los Cobres, estendendo a distância de deslocamento por cerca de 200 km. Eles não vão poder chegar ao bivouac em Salta a tempo de começar a corrida amanhã. Um número de veículos maiores não será capaz de usar essa estrada também. O dia de amanhã será dedicado a reagrupar a caravana do Dakar em Chilecito para continuar o evento, dando o início em 12 de janeiro do estágio 10, entre CHILECITO e SAN JUAN.