Após 6 participações consecutivas, na próxima edição do Rally Dakar, Guiga Spinelli e Youssef Haddad não estarão participando do rally, mas com certeza não deixarão de acompanhá-lo, inclusive eles estarão por aqui, no Tulipa Rally, dando suas opiniões e comentando tudo que estará acontecendo.

Nada melhor que acompanhar o rally com quem entende do assunto, não é mesmo? Então acompanha conosco durante os próximos dias, aqui no site e no Facebook, que traremos tudo o que estará acontecendo no rally mais difícil do mundo, que esse ano tem como grande novidade a largada em Assunção no Paraguai. Infelizmente por inviabilidade econômica ou mesmo falta de prioridade em investimento, o Chile e o Peru ficaram mais uma vez de fora dessa edição e com eles fica de fora o Deserto do Atacama, deixando assim o Dakar um pouco menos Dakar… mas não menos difícil.

 

Youssef, este ano, mesmo sem o Atacama, será o Dakar mais difícil da América do Sul?

Todo ano dizem que a edição será a mais difícil, faz parte da mídia por traz do Dakar. Não acredito que será a mais difícil não, mas talvez a mais cansativa, pelas características das especiais e médias horárias mais baixas.

 

Guiga, qual a maior dificuldade enfrentada pelos pilotos nesta edição?

É muito difícil falar em uma grande dificuldade no Dakar. O Dakar tem como conceito absoluto a dificuldade! Então o roteiro, a quilometragem por dia, etapa maratona, enfim, tudo é feito pensando em oferecer grande dificuldade para pilotos e equipes. Mas a partir do quarto dia, onde os pilotos começam a subir para as grandes altitudes e enfrentam 6 dias consecutivos por lá, desta vez cruzando dunas na Bolívia também, serão dias críticos. A altitude é severa para tudo, para o motor do carro, para o lado físico de piloto e navegador, e enfrentando ainda mais dunas, com menos potência no carro e cansaço físico da dupla, sem dúvida este será o tempero a mais para a dificuldade no rally.

 

E para vocês, quais os favoritos ao título este ano, nos carros?

Youssef: Pra mim Peterhansel, Sainz, Loeb e Nasser estão na briga. Correndo por fora temos Nani Roma, De Villiers e Hirvonen.

Guiga: Aposto no Peterhansel e no Nasser, embora conversando com o Perterhansel, me disse que desta vez não está indo em busca da vitória, mas com o objetivo no desenvolvimento da equipe e dos novos carros, mas ele sempre é um favorito e com a equipe Peugeot sempre formam uma equipe muito forte. Nasser com sua Toyota, que nunca venceram o Dakar e estão muito bem preparados, ganhando tudo o que correram este ano, então sem dúvida pela vontade de vencer eles estão no topo dos favoritos. Outros favoritos são Sainz que já venceu o Dakar, De Villiers que sempre está ali entre os 3 primeiros. Ainda é cedo para o Loeb, ele pode vencer algumas especiais, mas não tenho certeza que aguenta o ritmo forte do rally inteiro sem cometer erros.

 

E a torcida?

Youssef: Minha torcida mesmo é sempre para o Nasser.

Guiga: Minha torcida fica para o Stéphane Peterhansel, tenho uma amizade estreita com ele, então torço muito por ele. Assim como o Nasser, também um amigo, uma pessoa muito gentil e muito bacana, e por isso divido minha torcida com ele também.