Tudo mundo tem ou já teve essa dúvida, afinal, qual a diferença entre os três tipos de rally?

Nada melhor do que alguém que participa das três modalidades para explicar isso pra gente, então nosso amigo Eduardo Costa deixou um pouco a planilha de lado e conta todos os detalhes de cada mundo dentro do rally.

Nessa primeira parte, temos as diferenças entre rally de regularidade e rally cross country e na próxima semana teremos a diferença entre regularidade e rally de velocidade.

Continuem visitando o site para não perder nada!

E não esqueçam de nos contar o que estão achando, temos os comentários aqui no final do post e todas as nossas redes sociais à disposição.

.

 Então, qual a diferença?

Por Edu Costa

.

Oi Crianças,
Se você está aqui no site do Tulipa é porque gosta de rally, obviamente curte a adrenalina, certo? Mas qual é o seu tipo de rally? Velocidade, Cross Country, Regularidade, a pé, autorama…
E além da adrenalina, o que difere o Rally de Regularidade do Cross Country e do Velocidade? (Parte I)

Bom, já vou avisando, leia esse texto com tempo porque é longo, afinal eu falo pouco… sqn… 🙂

Quem ainda não ouviu aquela frase “Pow, que legal, tenho um amigo que tem jipe e também faz!!” quando você diz pra alguém que corre em rallys?? Eu já perdi as contas… os dois sāo divertidos, mas “uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa!”.

E mesmo dentro dos rallys também há diferenças, mas quais?

Vamos explorar um pouco disso sob o ponto de vista do navega. Como eu disse, se você tá aqui no site do Tulipa é porque ao menos curte o rally, então tamo junto! E, provavelmente, faz o de Regularidade. Esse é o rally de entrada no esporte, uma boa parte dos pilotos e navegas de Velocidade e Cross Country começaram por aqui.

No regularidade o foco é a precisão, cada décimo de segundo conta, além disso o navega tem que ficar de olho em uma série de detalhes como: carregar os trechos da prova no equipamento de navegação (Evo, Compass, Rabbit e afins), sincronizar com o relógio da prova, passar a planilha pra tentar identificar os balaios e pegadinhas que o organizador preparou, ajustar os equipamentos no carro, deixar aquele pacotinho esperto de bolacha à mão…etc etc. E o piloto tem que ser preciso, muito preciso.

Mas e nos outros rallys?

Bom, nos outros há algumas diferenças, vamos começar pelo Cross Country.

Primeiro o carro, o Cross Country é para carros off road, picapes 4×4 como as Triton, Hilux e Ranger, se bem que há alguns protótipos 4×2 também, mas não são muito comuns. São preparados de acordo com o regulamento técnico da CBA e possuem uma série de dispositivos de proteção como gaiolas, extintor e chave geral externos, cintos de 5 pontos, etc, etc. Também há motos, quadriclos, UTVs e caminhões.

A planilha do Cross Country é muito parecida com a do Regularidade, segue o mesmo padrão de tulipas, mas ali não estão definidos centenas de trechos e velocidades por trecho. Então é mais simples?? Hmmm.., então…. veja bem….

IMG_0210

Planilha do Rally dos Sertões em 2011. Quem faz regularidade pode se surpreender com o hodômetro, 157 km sem zerar!

Primeiro há alguns termos novos que você precisa conhecer:

– Parque Fechado: é o lugar onde os carros ficam estacionados no início e/ou no final das especiais, dependendo da prova. Quando os carros estão aí ninguém pode tocá-los: nem piloto, nem navega, nem mecânico, nem o Papa…. A menos que o fiscal da CBA autorize e acompanhe.

– Deslocamentos (inicial e final): é como no regularidade, é o trecho desde o parque de apoio ou o parque fechado até o ponto onde começa a especial e o trecho entre o final da especial e o parque de apoio ou parque fechado.

– Especial: é o trecho cronometrado, ou seja, trecho de pé embaixo!!!

– Cartela ou cartão de controle: é uma cartela de papel onde são anotados todos os seus tempos e que deve estar com você sempre. Nunca, jamais, em hipótese alguma, perca essa cartela!!!

– Zona de Controle: pode-se dizer que é a “área de largada”, é um espaço de alguns metros antes da largada da especial onde fica a mesa de controle, nessa mesa você entrega sua cartela para que o controlador anote seu horário de largada. A Zona de Controle possui todo um conjunto de regras específicas como horário correto para entrada, não pode haver auxílio mecânico e uma série de outros detalhes.

– Zonas de Radar: nada a ver com o Haddad, mas são zonas de velocidade controlada, por exemplo a passagem em pontes precárias ou por dentro de vilarejos.

No Cross Country o navega também tem uma série de atividades a fazer antes de largar: sincronizar o relógio com o relógio da prova, verificar o horário de largada, passar a planilha e, dependendo da prova, carregar os way points no GPS, carregar a planilha eletrônica, verificar bateria do intercom, verificar água do camelback, frequência do rádio, pegar o GPS da organização (rastro, igual ao do regularidade)….

Cansou??? Mas o mais importante: a cartela de controle!! Para o navegador esse é um ítem crucial, igual casamento, você deve amá-la e respeitá-la sempre! E nunca, jamais, perdê-la… Perca o piloto mas não perca a cartela!!! Perca a planilha mas não perca a cartela!!!! (e olha que já vi navega perder a planilha no Sertões… rsrsrsr ééééé….).

Confesso que quando começei no Cross Country a cartela era o ítem que mais me estressava. Nesse tipo de rally os horários são muito importantes e é através da cartela que isso é controlado. No Regularidade você se preocupa com a hora de largada. No Cross Country e no Velocidade você verá que há mais com o que se preocupar.

Bom, então vamos correr! Tá tudo pronto, você já está equipado no carro, cintos afivelados, capacete preso,  cronômetro, check list feito… no seu horário você vai para a saída do parque e  pega sua cartela, nela está estipulado seu tempo de deslocamento inicial, sai, faz o deslocamento e ao chegar na boca da especial entra na fila e espera seu tempo para fazer o controle de largada.

O controlador é a pessoa que faz as anotações na cartela. Se seu horário de controlar é as 11:42, exatamente nesse horário você deve estar dentro da zona de controle e em frente ao controlador para ele anotar sua cartela e assinar a ficha, nem um minuto antes, nem um minuto depois (não é a toa que eles curtem rally na Inglaterra), se você controlar fora do seu horário você leva penal, então prestenção!!!

Na cartela ele anota o horário que você a entregou e seu horário de largada, geralmente 3 minutos após o horário de controle, aí você assina a ficha e tem esses 3 minutinhos para alinhar no ponto de largada, guardar a cartela, concentrar pra largar e evocar a Força! (Luke…)

Contagem regressiva: 10… 5, 4, 3, 2, 1…. Vai vai vai!!!

Agora é pé embaixo!
Mas como rola a navegação???

No Cross Country a navegação é pela regressiva.

Que diacho que é isso???

Quando o piloto está andando com o pé embaixo, a concentração dele é total na pilotagem, ele tem que sentir o carro, saber como entrar e sair das curvas, como encarar as lombas, pendular, qual técnica utilizar a cada obstáculo e tudo em frações de segundo. Então ele não conseguiria além de tudo isso olhar no “kit piloto” para fazer “a curva fechada a direita no 3,28!!”

Como cada décimo de segundo conta, aqui você canta o quanto falta para a próxima referência. E pra conseguir essa informação você olha nos instrumentos e faz as contas. Então a cantilena é mais ou menos assim:

– em 500, curva fechada a direita. Em 300, curva fechada a direita em 200, 100, 50
– em 300, lomba 2 curecas, 200, 100, 50

Com isso ele saberá até onde poderá continuar acelerando, onde deverá frear e como posicionar o carro para passar pelo que está chegando. Mas tem um detalhe, tudo acontece rápido, muito rápido.

Você tem que olhar cada referência na planilha e cantá-la no ritmo e na maneira como o piloto quer receber a informação e de forma clara e objetiva. Ao mesmo tempo você tem que ir fazendo as correções no hodômetro, verificar se está passando pelos way points (se perder algum toma penal) prestar atenção para não errar o caminho (senão o piloto te dá um penal na orelha), ficar atento ao rádio, entrar e sair nos pontos, tempo e velocidades corretas nas zonas de radar (senão adivinha…. toma penal). Em provas cujas referências são muito próximas umas das outras a concentração é total! É tudo muito rápido e se bobear… Toma penal!

Aliás, uma das diferenças primordiais desses rallys é o nível de concentração que eles exigem da dupla, tanto piloto quanto navega precisam estar concentrados ao máximo. Nao dá pra olhar paisagem, fazer fofoca, contar causos, tirar selfie… aqui se você bobear você não perde alguns pontos…você capota. Tendeu?

Além disso tudo, você ainda tem que se cuidar: beber água!! importantíssimo. Carro de rally não é limusine e nem todos tem ar condicionado e a temperatura lá dentro chega brincando aos 40, 50 graus, aí você está de capacete, balaclava, HANS, macacão, vidros fechados e falando, falando, falando… Então beber água é fundamental, são vários os casos de pilotos e navegas chegarem desidratados ao final da especial ou mesmo terem que parar no meio dela, principalmente quando está muito calor. E o rally cross country pode ser longo, vc tem provas de 3, 4, 5 horas….

Mas aí alguém diz “mas pow Edu, eu fico 5 horas no regularidade e saio inteiro!!”

Aham.., eu também pensava a mesma coisa, mas senta lá na cadeira elétrica pra ver!! 🙂

Aí no final de 3 ou 4 horas nesse ritmo insano, com calor e concentração no talo e as vezes tendo que andar vários kilômetros na poeira sem nenhuma visibilidade negociando uma série de ultrapassagens que são sempre complicadas, você chega ao final da especial!! Cruza a fotocélula, pára o cronômetro e entrega a cartela (puts, onde eu coloquei a p**** da cartela??) ao controlador de chegada. Ele anota seus tempos, você assina e sai.

Também há um tempo determinado para fazer o deslocamento final até chegar ao apoio e você deve ficar atento a isso, com a cartela na mão você faz as contas e vem cuidando para não estourar seu tempo durante o deslocamento nem perder way points, senão… toma penal.  Aliás, o deslocamento final é um trecho complicado, muitas vezes a dupla chega “adrenada” e faz o deslocamento em ritmo de especial, arriscando sua vida e a dos outros, lembre-se que os deslocamentos são feitos seguindo as regras de trânsito. Ao chegar no parque de apoio sem ter estourado o tempo, você entrega a cartela ao controlador do apoio e fim de dia !!!

Agora respira.

Fácil né?  Não sei ao certo se é fácil ou não, mas é uma delícia!!

Aí é hora de esperar o resultado e se for prova de mais um dia, amanhã começa tudo de novo!!

 

Bom, esse foi um resuminho (huahuahuahua) do Cross Country. Deu pra sentir a diferença com o Regularidade?

Então na próxima vamos ver um pouco do Velocidade.

 

Já chega por hoje!!

Hora de controlar: pega a cartela e vaza. 🙂

 

Edu Costa

.

O que acharam do texto do Edu? Contem pra gente aqui nos comentários!

Continuem por aqui que semana que vem tem mais (e todo dia tem post novo no site!). 🙂
.

.

Apoiadores2016