Sabe aquela sensação de criança quando vai pra disney? É a mesma de quando vamos para o autódromo Velo Città. Oh lugar incrível!!! É a disneylândia do automobilismo no Brasil. Além da pista de corrida homologada pela FIA para até sediar uma etapa da Formula 1, tem uma pista Off-Road para nossos brinquedinhos 4×4. Tudo bem, não é qualquer um que pode ir chegando lá e entrar na pista ou fazer uma trilha, a não ser dar a sorte de estar presente num evento como o que aconteceu neste final de semana. Um evento sem proporções iguais. Um evento espetacular. Neste final de semana aconteceram muitas coisas ao mesmo tempo. Teve a Mitsubishi Motorsports, a Outdoor e a Cup no sábado, além de test-drive dos carros da Mit e para quem estivesse disposto a pagar uma pequena quantia, até uma volta rápida com nada mais, nada menos que com o Ingo Hoffmann num EVO de competição. E não para por ai. Domingo foi a vez de outros 5 eventos ao mesmo tempo: Suzuki Off-Road (rally de regularidades), Suzuki Extreme (raid), Suzuki Cross Day (rally de estratégia), Suzuki Track Day (regularidade no asfalto), e o Track Day Crazy for Auto, track day multimarcas. E isto tudo regado a um festival de Food Trucks para matar a fome de mais de 3.000 pessoas que passaram pelo autódromo neste final de semana. Não foi brincadeira não.

MitMogiGuacu_06

Bem, mas viemos aqui pra falar de rally, não é mesmo? Então vou contar um pouco de como foi a 2ª etapa do Mitsubishi Motorsports em Mogi Guaçu para vocês.

Foi a primeira prova da Mit do ano em que eu e a Pri corremos juntos, já que a primeira prova fomos navegando para outras pessoas, em Joinville, então estavámos ansiosos para participar do rally.

Chegamos no Velo Città um pouco mais cedo, aproveitamos para mostrar ao vivo pelo Facebook a estrutura montada pelas equipes da Mitsubishi CUP, mas logo fomos para a fila levar a doação de alimentos, obrigatório para todos os participantes. E quanta doação! Esta atitude da Mit faz a diferença… 🙂

Depois de toda história de sempre: doação – secretaria de prova – cba – adesivação – vistoria – fomos para o briefing escutar atentos as informações do Lourival e partir para ainda dolorosa espera para conseguir baixar a planilha eletrônica. Depois de 40 minutos brigando para conseguir baixar a planilha, hora de descansar para acordar cedo.

Logo pela manhã a adrenalina já toma conta da equipe Tulipa Rally. Guilherme e Lisiane perderam a chave do carro. Deu um trabaaaaalho para achar, até que a salvadora do dia aparece, Camila sua fofa, valeu a ajuda por achar a chave do carro dentro de uma bota no porta-malas – rsrsrsrsrs

Tudo certo, agora é hora de correr para o autódromo, aferir o carro e alinhar para a largada.

Em poucos minutos de deslocamento, saímos do autódromo e já chegamos no trecho navegável do rally. Como é bom deslocar pouco e começar o rally logo de cara… mas tudo tem seu lado bom e seu lado ruim. Já na primeira tulipa que mandava dobrar a esquerda, os competidores entraram num matagal, onde praticamente não dava para se ver onde tinha rua, mas ela estava lá. Sorte nossa que sendo o carro 65, esta trilha escondida já era uma estrada de 2 pistas, mas mesmo assim foi intenso os 10 primeiros minutos de prova. Vira pra cá, vira pra lá, entra no meio do mato, se piscasse perdia uma entrada… e foi bem isso que aconteceu. Uma bobiada e dois carros na nossa frente se envolveram em um acidente onde tinham que entrar numa rua que não dava para ver. Isso acabou nos atrasando mais de 1 minuto, já que éramos os próximos competidores a passar pelo local, ainda mais porque o acidente acabou fechando a estrada. Mas ai vai uma dica: SEMPRE que acontecer alguma coisa, algum acidente, carro quebrado, pneu furado, qualquer coisa, sempre, mas sempre mesmo, tire o carro da estrada e encoste o máximo possível, desde que ninguém precise de qualquer tipo de socorro médico, pois o rally não para. Claro que isso se conseguir tirar o carro do local, e foi o que aconteceu. Já que ninguém se machucou, foi só tirar um dos carros da pista que o rally pode continuar, e a gente acelerar para tirar o tempo perdido.

Aceleramos, e levamos um tempo para tirar o atraso, ainda mais num trecho de muitos balaios, mas deu tudo certo, e mesmo um pouco desanimados com o acontecido, tínhamos muito rally pela frente ainda. E o ritmo continuou frenético, trechos de poeira, cana, mato, buracos, teve de tudo na prova, o que sempre deixa o rally mais desafiador.

A segunda etapa nos marcou por uma bobiada, uma nova rua, feita por aqueles que erravam a entrada, nos confundiu e acabamos atrasando novamente, desta vez não tanto, mas o que nos custou boas posições no resultado final. A terceira etapa confesso que estava meio desmotivado, o que fez com que perdesse a concentração e não andamos tão bem quanto nós poderíamos andar, mas de qualquer forma a diversão estava garantida e a melhor parte ainda estava por vir. Melhor parte porque nunca tinha andado numa pista de corrida, e depois de um deslocamento final na terceira prova, voltamos para o autódromo Velo Città e a prova continuava dentro da pista desta vez. Foram apenas 2 voltas, com médias relativamente bem baixas quando comparadas com a Lancer CUP, mas o suficiente para a adrenalina tomar conta dos pilotos, nem que por poucos minutos. É uma sensação muito diferente de andar no asfalto, estrada ou claro, na terra. O asfalto é diferente, a tangência das curvas são perfeitas, da vontade de jogar a planilha pro alto e acelerar o máximo que puder… e confesso que escutei histórias na chegada que teve vários que fizeram isso… rsrsrs, prova perdida mas diversão garantida!!!

Fim de prova, hora de Food Trucks. Achamos a iniciativa da Mitsubishi excelente. Foi diferente, foi gostoso, mas eu acredito que os próprios “traillers” de comida não acreditaram no evento e me pareceu que não teve refeições suficiente. Ao menos 1 food truck já tinham esgotado seus lanches assim que chegarmos, e não éramos nem de longe os últimos a chegar. Mas creio que ninguém saiu chateado de lá, ao menos eu saí satisfeito com a costelinha que comi.

Depois do almoço, é hora da premiação. Foi muito legal juntar todas as categorias. Começando pela premiação da CUP, vimos muitos amigos subirem no pódio. Macedo´s Rally Team conquistando um 5º e um 3º lugar, junto com nossos amigos André Miranda e Alison Pedroso no lugar mais alto do pódio da categoria TR4 ER Master. Já em outra categoria, vimos duas pessoas muito queridas subirem também no lugar mais alto do pódio, Paulinho Dias e Marcelo Bortoluz levaram o primeiro lugar na TR4 ER. E claro que não podia faltar o nosso estimado Pateta, Glauber Fontoura e fiel escudeiro navegador Fafael, Rafael Malucelli, no lugar mais alto da categoria L200 Triton ER. Queria também destacar mais um primeiro lugar, Damon Alencar, grande amigo, na categoria ASX R. Resultados fantásticos entre nossos amigos. E o dia foi só melhorando. Chegou a vez da premiação da nossa prova, do Motorsports, e é muito bom dividir a alegria com pessoas tão queridas. André e Camila, da equipe Tulipa Rally, conquistaram melhor dupla mista na categoria turismo, Igor e Maurício, o Sorocaba, ficando em segundo lugar, e o mais fantástico de todos, Sandra Dias e Minae Miyauti dando uma lavada na galera levando o primeiríssimo e merecido lugar. Vale lembrar que nosso amigo Ariel, dos energéticos Vulcano, raspou na trave e ficou em 6º. Na categoria Graduados também foi de muita felicidade. Além do casal Guerra, Zé e Márcia ficando com o prêmio de melhor dupla mista, o casal PQP Benhê, Mineiro e Eveli em terceiro lugar acompanhados pelos casal Fernando Possetti e Cristina Posseti, que ficaram no lugar mais alto do pódio, marcando a história do Mitsubishi Motorsports como a segunda segunda dupla mista a ganha na graduados. Parabéns 🙂

Ahhh, não podia deixar de comentar a categoria Turismo Light…, Nossos amigos de Nova Friburgo, Gustavo Moraes e Marcelo Carestiato levaram o segundo lugar, e…. e…. gostaria de dar as boas-vindas à dupla Reginaldo Lemos e Evaldo Alves à categoria Turismo, já que conquistaram o lugar mais alto do pódio pela segunda vez consecutiva este ano… #vaipraturismo

E eu e a Pri? Levamos muitas histórias, saudades e experiência na bagagem. E é claro, um final de semana cheio de adrenalina e coisas boas da Disneylândia Automobilística Brasileira.

Confira os resultados da etapa

Categoria Graduados
1º (14) Fernando Luis Possetti / Cristina Starling Possetti – Ribeirao Preto-SP
2º (21) Jose Marques Souza Junior / Claudio Roberto Flores – Belo Horizonte-MG
3º (23) Waldir Hudson Barbosa / Maria Eveli Giani Barbosa – Bragança Paulista-SP
4º (15) Paulo Roberto Goes / Jhonatan Ardigo – Joinville-SC
5º (6 ) Flavio Roberto Kath / Rafain Walendowsky – Blumenau-SC

Categoria Turismo
1º (53) Sandra Dias / Minae Miyauti – Santana de Parnaiba-SP
2º (49) Igor Carvalho / Mauricio Barros Alcantara – Castro-PR
3º (52) Pedro Junio de Oliveira / Alessandro Bonsucesso da Silva – Belo Horizonte-MG
4º (43) Eduardo Alexandre Kruger / Fabiane Tironi Kruger – Jaraguá do Sul-SC
5º (42) Marcio Pereira / Icaro M Cunha – Rio Bonito-RJ

Categoria Turismo Light
1º (101) Reginaldo Rocha Lemos Junior / Evaldo Indig Alves – São Paulo-SP
2º (134) Gustavo Marques Moraes / Marcelo Vieira Carestiato – Nova Friburgo-RJ
3º (192) Ricardo Pingo / Samira Colla – São Paulo-SP
4º (114) Thiago Martino Santos / Karina Borba Martino – São Bernardo do Campo-SP
5º (179) Joao Furquim da Silva Magaldi / Vera Furquim da Silva Magaldi – São Jose dos Campos-SP

 

Confira todos os resultados clicando aqui.

.

.

Apoiadores2016