Dia 20 de março começou o campeonato 2015 do Mitsubishi Motorsports e nós estivemos em Campos do Jordão/SP para participar do evento. Na sexta era necessário confirmar a inscrição pessoalmente, entregar as doações (30kg de  alimentos, 6 kits de higiene e um cobertor) e assistir o briefing onde o Lourival Roldan, diretor da prova, passou informações importantes como quilometragem total,  tempo de prova, alguns cuidados extra que deveriam ser tomados por causa da chuva constante na região nos últimos dias e principalmente para termos mais atenção pois em alguns trechos o caminho do Mitsubishi Outdoor iria cruzar com o do Motorsports (o que realmente aconteceu e acabou atrapalhando muita gente…). Após a liberação do uso de equipamentos de navegação integrada na turismo, seus participantes fizeram exatamente o mesmo percurso da graduados, somente com velocidades menores.

No sábado de manhã fomos aferir o hodômetro do EVO e já nos preparar para a largada. Essa prova teve uma situação inusitada, após a largada dos graduados a largada da turismo e da light aconteceu ao mesmo tempo, sendo que a cada 30 segundos largava um carro, intercalando as categorias. Achamos que essa situação, principalmente para os participantes da light, pode ter sido um pouco confusa, ainda mais que logo que saíamos do recinto da largada cada categoria ia para um lado.

Foto: Samira Safsouf

Entrando na fila para largar. Foto: Samira Safsouf.

Nós corremos na turismo e nossa prova foi dividida em duas etapas, totalizando cerca de 170km e quase 6 horas e 20 minutos. A primeira etapa teve trechos bem lisos, com muita lama, principalmente devido às fortes chuvas que caiam na região à 10 dias, mas mesmo assim era possível seguir as velocidades da planilha com segurança.

A segunda etapa foi mais complicada (veja o vídeo aqui), logo no começo um carro ficou enroscado na estrada,outro foi tentar ultrapassá-lo, não conseguiu e fechou a estrada, isso aconteceu dois carros na nossa frente, até eles conseguirem sair e liberar a estrada ficamos 12 minutos atrasados (e todos que vinham atrás da gente também). Nesse ponto já havia começado a chover novamente, a estrada estava ainda mais lisa e era impossível manter as velocidades da planilha em vários trechos, imaginem conseguir andar mais rápido e tirar esse atraso. Bom, nós optamos pela segurança e fomos mais devagar, somente em um neutro de 10 minutos (já na metade da segunda prova) que conseguimos entrar no tempo correto e continuar seguindo, mas já sabíamos que a prova estava perdida.

Ao chegarmos em Campos do Jordão a festa já estava montada, pudemos desfrutar do almoço e conversar com os amigos. No final, ficamos em 33º na turismo (de 47 participantes), com um 8º lugar na primeira etapa e um infeliz 33º lugar na segunda etapa. Sabemos que em um rally podemos nos deparar com situações deste tipo (e para isso que servem os descartes de PCs), mas levando em consideração tudo que envolveu essa prova, incluindo muita chuva nos dias anteriores e durante a prova, esperávamos que houvesse uma relargada para que todos pudessem continuar sem comprometer a segurança. Para quem estiver em dúvida vale a [re]leitura do regulamento (ítem 11.12), que informa algumas atitudes que podem ser tomadas, mas não são obrigatórias, cabendo a organização escolher a melhor opção. Nas categorias Graduados e Turismo Light aconteceram situações semelhantes, porém, nestes casos, como o tempo de paralização da prova foi maior e envolveu maior quantidade de veículos, a organização optou pela relargada visando a segurança dos participantes.

4

Para nós essa não foi a melhor prova do Motorsports, além de ser muito longa (mais de 6 horas) ela foi toda em linha, ou seja, era só seguir em frente pela estrada, não teve nenhuma dificuldade de navegação. A dificuldade foi conseguir manter as velocidades na estrada lisa e cheia de barro por causa da chuva, o que em alguns momentos passou de divertimento para tensão e isso com certeza não é o que procuramos quando vamos fazer rally (mesmo usando pneus apropriados para essa situação, imaginem quem estava com pneus mais indicados para uso na cidade…). Mas acreditamos que esse foi um caso atípico (inclusive por causa da chuva) e esperamos que as próximas provas sejam melhores, como todas as outras que já participamos. Vale ressaltar aqui que a organização, o almoço e a festa de premiação foram boas como sempre!

 

Agora é se preparar para as próximas provas e tentar melhorar sempre!

 

Veja algumas fotos clicando aqui!

Confira os resultados da prova aqui!

Gostaríamos de agradecer aos nossos patrocinadores nesta prova: Fenotech Indústria e Comércio de Plásticos LTDATork 4×4 – Proteções e pára-choques off roadVale do Sonho Hotel & Eventos e o apoio do pessoal do grupo Pajero TR4 Brasil.

5