1. Etapa maratona…

Difícil, imprevisível e fascinante Rally Dakar!

A Especial que chega à base do exército em Uyuni, na Bolívia, é sempre muito parecida – longa, plana, em estradas bem abertas, repletas de pequenas vegetações e sempre com muito público! Até aí, ótimo! Apesar da distância, as características são de uma prova tranquila, certo? Errado. A chuva, como sempre, se faz presente nesta Especial, o que a torna muito difícil e traiçoeira. Quando corremos esta Especial, em 2014, teve um trecho que tivemos que parar o carro e procurar a estrada, pois tudo estava alagado!

Com uma Especial rápida, traiçoeira e etapa inicial de Maratona, Carlos Sainz e Lucas, mesmo tendo que recuperar tempo em relação a Peterhansel e Jean Paul, vinham andando com prudência, sabendo que nos alagados, o primeiro carro pode virar boi de piranha.

Enquanto isso, Peterhansel e Jean Paul, vinham se aproveitando da referência de um carro na frente, ainda mais por ser idêntico ao deles, e vinham sendo os mais rápidos, nem parecendo que estavam liderando o acumulado com uma boa vantagem de 27 minutos.

Tudo levava a crer em mais um dia de vitória do “Senhor Dakar”, até que uma quebra na suspensão traseira esquerda transformou uma liderança absoluta em desespero! Sem ter como arrumar com seus próprios recursos, a dupla teve que esperar a chegada do último Peugeot na prova, Despres e Castera, para usar as peças do próprio carro dos companheiros de equipe, remontar o seu e voltar para a prova.

Resultado? Mais de 1 hora e 40 minutos parados, vigésima posição no dia e a queda para o terceiro lugar no acumulado, distantes 1 hora e 20 minutos dos agora líderes Sainz e Lucas, e a 9 minutos de Nasser e Mathieu – isso mesmo, o príncipe segue subindo na classificação e ganhou duas posições neste sábado.

Esta noite, as equipes não podem fazer manutenção nos carros, apenas as próprias duplas podem trabalhar nos veículos – em condições péssimas, pois os carros estão sujos de lama e a base do exército fica a 3600 metros de altitude, ou seja, qualquer esforço físico dá a sensação de ter corrido uma maratona, e tem mais… lá é muito frio!

Com a situação invertida entre os ponteiros, Sainz e Lucas devem estar pensando: “Como será que a suspensão do Peterhansel quebrou? O carro acabou de passar por uma minuciosa revisão no dia de descanso, a Especial não era esse absurdo, como nos primeiros dias, será que os engenheiros erraram no estudo de vida útil da peça? Será que a nossa vai aguentar a próximo Especial?”

Por outro lado, Peterhansel e Jean Paul, além de lamentar a quebra, com certeza devem ter decidido, entre eles, que acabou a estratégia, agora é tudo ou nada – afinal, para a dupla com maior número de títulos no Dakar, brigar por um segundo lugar, parece muito pouco…

Os pilotos da Toyota, Nasser, De Villiers e Ten Brinke devem estar loucos para jogar metanol nessa fogueira! Afinal, o domínio tranquilo da Peugeot, mesmo com a ampla vantagem de Sainz, nunca esteve tão ameaçado. Pois, mais que velocidade, os carros de “Cross Country” dependem de confiabilidade!
Neste sábado, tivemos mais uma vitória brasileira entre os SxS! A dupla Varela e Gustavo, com um UTV Can-Am, segue dominante na categoria, e abrindo mais vantagem na liderança! Sem problemas mecânicos, o conjunto se mostra muito superior aos demais. Sawaia e Marcelo, seguem firmes na prova, sem se preocuparem com o resultado, mais sim com quantos dias faltam para a tão sonhada rampa de chegada. Excelente resultado também para Marcelo Medeiros, o segundo lugar entre os quadris, o coloca em oitavo lugar no acumulado e com chances reais de pensar em Top 5.

Neste domingo, a Especial será fundamental para quem aspira bons resultados na prova. Altitude, dunas e carros sem manutenção, podem dar mais uma reviravolta nas classificações desse rali, que vem sendo um dos mais difíceis, imprevisíveis e fascinantes dos últimos tempos – como um Rally Dakar deve ser!

Youssef Haddad

Spinelli Racing