Hoje não teremos as fantásticas análises de Youssef Haddad… isso por um motivo muito nobre. Nasceu o Davi, seu segundo filho, um garoto lindo e cheio de saúde, que vai tomar o lugar do Guiga Spinelli como piloto oficial da equipe logo mais… rsrsrs. Então é justo que nosso comentarista e mais novo papai do pedaço passe mais tempo trocando fraldas agora do que escrevendo seus fantásticos textos sobre o Dakar. 🙂

Youssef, parabéns a toda a família Haddad, e que o Davi tenha muita saúde e felicidade. Abraços da família Tulipa Rally!

Não vou me atrever a fazer uma análise do dia de hoje como o Youssef faz, mas posso contar um pouco o que aconteceu durante a 13ª etapa, que saiu de San Juan e chegou em Córdoba, na Argentina, com 360km de especial, 568km de deslocamento, num total de 928km, se não me engano, o dia mais longo do rally até agora. A especial se iniciou em Dunas na região de San Juan e passou pelos temidos fesh-fesh que sempre traz emoção a flor da pele. Mais no final da especial, alguns pilotos se reencontraram com terrenos conhecidos do WRC: velocidade a toda prova.

Mas na história do Dakar está cheio de pilotos e navegadores que se empolgam demais e perdem o rally para o próprio Dakar.

Peterhansel e Cottret tiveram problemas com a direção hidráulica, perderam muito tempo durante a etapa e caíram para a quinta colocação na classificação geral. Devido a direção pesada acabaram batendo o Peugeot em uma árvore, de acordo com o site Dakar.com, ainda no inicio da especial, no WP3.

Já os líderes do Dakar, Carlos Sainz / Lucas Cruz, de olho no título do Dakar, estão claramente administrando a prova, e terminam a especial apenas na sexta colocação, mas com 57 minutos na frente de Nasser.

A primeira parte foi muito difícil. Eu acho que muitos concorrentes atrás de mim terão problemas. Eu tentei jogar com segurança, mesmo que houvesse muitas partes difíceis. Desde o início, tem havido muito drama nessa corrida e não acaba até cruzarmos a linha de chegada. Não é um Dakar louco, mas é muito difícil. Espero que tudo continue bem amanhã. Carlos Sainz

Quem terminou a especial na frente e se beneficiou demais com a quebra de Peterhansel foi Nasser Al-Attiyah e Matthieu Baumel, que ganhou uma posição no ranking geral há apenas 24 horas de acabar o Dakar.

Foi um dia muito difícil e muito longo com 1000 km no total com a especial e o deslocamento. É um dia longo para nós. Estou bastante feliz por estar aqui e saber que agora estamos em segundo lugar. Este é realmente um ótimo momento. Ainda há uma etapa. Amanhã sobrará 140 km e tentaremos fazer o nosso melhor e concentrar-nos para manter nossa posição. Hoje foi muito, muito difícil. Foi fácil cometer um erro ou bater, porque era realmente arenoso com muitas árvores grandes. Não foi fácil, mas tudo bem… este é o Dakar “. Nasser Al-Attiyah.

O dia não foi bom para Berhard Ten Brinke / Michel Perin. O holandês que vinha ganhando espaço com sua Toyota Hilux, chegaram a andar na frente durante a especial, mas tiveram que abandonar o Dakar, vítima de um grave problema mecânico na sua Hilux, ao km 570 da especial. O holandês e o seu co-piloto fizeram de tudo para tentar reparar o problema, mas não foi possível e o abandono foi inevitável.

Já o brasileiros Marcelo Medeiros, nos quadriciculos, fez uma excelente prova hoje e fechou o dia na quarta posição e permanecendo também na quarta posição na geral. Amanhã é dia de fechar o Dakar com chave de ouro.

E a dupla nos UTVs, Varela e Gugelmin, estão fazendo uma prova espetacular, já venceram cinco etapas, um recorde desde a criação da categoria UTVs, e hoje, administrando sem tirar o pé do acelerador, andaram a maior parte da especial liderando, aliviou um pouco o Can-Am e fechou agora de pouco a especial em segundo, com 9min e 59 segundos do francês Garrouste, mas ainda em primeiro na geral com mais de 1 hora de vantagem. Caso vençam amanhã, Varela e Gugelmin vão trazer o segundo título para o Brasil. Em 2017, Leandro Torres e Lourival Roldan faturaram o primeiro Dakar na mesma categoria UTVs. #GoVarela #GoGugelmin

.

.

Próxima etapa
20/1/2018 – 14ª etapa
Córdoba / Córdoba (Argentina)
Deslocamento: 165 km
Especial (trecho cronometrado): 119 km
Total do dia: 284 km

Conheça mais sobre a Spinelli Racing Experience, empresa de desenvolvimento automobilismo e automotivo de Guiga SpinelliYoussef Haddad.
Acesse a página oficial no Facebook: https://www.facebook.com/pg/spinelliracing