Dia difícil para os brasileiros… mas como todo bom brasileiro, desistir não é uma opção. A terceira etapa foi marcada mais uma vez por dunas, muitas delas, 65% do terreno, em cima de dunas. Igual ontem na verdade…

E foram as dunas que deixou a noite do Jorge “Teta” Wagenfuhr e Idali Bosse – Carro #350 – mais “divertida” se é que me entende. Depois de muitos perrengues durante a segunda etapa do Dakar, Jorge e Idali passaram a noite em claro, com vários outros competidores, tentando sair das traiçoeiras Dunas do Peru. Foi uma agonia total, não tínhamos notícias concretas sobre o paradeiro da dupla, isto até o final da manhã de hoje, quando veio a confirmação pelos mecânicos da equipe, que Jorge e Idali estavam chegando ao Bivouac e que daria tempo de largarem para esta 3ª etapa. Euforia total!!! Brasileiro não desiste nunca! E lá foram eles, tanque cheio, pneus novos, sem dormir mas com a determinação e esperança renovadas para esta nova etapa. Apesar de tudo, agora são 23h30 no Brasil, e o que sabemos até agora é que durante a especial de hoje eles quebraram, se não me engano, um diferencial, e não sabemos se continuam na prova. 🙁

O dia também não foi um dos melhores para Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin – UTV #356. Ontem foram o destaque da prova na categoria, hoje largaram e logo no início tiveram alguns problemas elétricos no UTV que não passava de 6.000 giros no motor. Sendo assim, vieram administrando, curtindo a paisagem, até chegarem na metade da etapa, que hoje poderiam ter ajuda da equipe para alguma manutenção. E foi o que aconteceu. Consertaram e vieram forte ganhando posições na segunda metade da prova, mas até encontrarem outro problema, Varela perdeu a direção elétrica e veio pilotando um UTV “muito mais pesado”, o que fez terminarem em 5º na categoria, com 2 horas a mais que o primeiro colocado, o peruano Jc. Uribe Ramos. Mas Varela e Gugelmin não vieram pra brincar e tem muuuuita prova pela frente ainda.

Zeca Sawaya e Marcelo Haseyama – UTV #378 – também não tiveram um dia dos melhores, mas chegaram ao final da prova, em 8º com 3h50m do líder.

Ao menos o dia foi bom para Marcelo Medeiros – Quad #282 – que manteve um bom ritmo, fechando a especial em 4º com apenas 15min do líder mas seu penal de 2 horas do primeiro dia o deixou ainda longe do primeiro colocado no ranking geral.

Outra informação importante é que o espanhol Nani Roma, da equipe X-RAID TEAM, com seu Mini 4×4, sofreu um acidente no final da etapa. Ele conseguiu terminar a especial, mas foi levado as pressas para o hospital e infelizmente os médicos constataram pequeno traumatismo craniano e na coluna cervical e está fora do Dakar. Confira o momento do acidente:

Confira os destaques do dia pelo relato de Youssef Haddad.

Não teve “SE” para o Domador de Leões!

No rali a palavra mais usada é o “SE”, se eu tivesse acertado aquela curva, se meu carro tivesse isso, se não fosse a vaca que passou na minha frente, se…. Enfim, são tantos “se’s” que às vezes imagino que se não fossem eles, todos terminariam empatados em primeiro lugar. Porém, dessa vez, o Príncipe Catariano, Nasser Al-Attiyah mostrou que no caso dele, se tirar o “se”, a probabilidade de estar na frente é enorme! No domingo, foi o primeiro veículo a largar, isso mesmo, na frente das motos, e seu navegador, o francês Mathieu passou muito mal, vítima das marolas “Dakarianas”. Imaginem você, correndo no deserto, em um mar de dunas, sendo o primeiro veículo, sem nenhuma marca no chão para seguir e o navegador ao seu lado passando mal – acho que dá para entender o “SE” deste domingo do Nasser! Nesta segunda-feira, ele sem “se” nenhum, foi lá e carimbou – primeiro lugar na Especial, com mais de 4 minutos de vantagem para Peterhansel, 6 para Sainz, 7 para Despres e 8 para Loeb. Isso mesmo, Nasser e Mathieu sem os “SE’s”, se tornaram “domadores de leões” e mostraram que estão na briga pelo título. Resta saber, se até o final da prova não vai aparecer um “se” o carro não quebrasse ou “se” aquela pedra não estivesse lá…

Mesmo sem vencer o dia, Peterhansel e Cottret permanecem na liderança do acumulado, em uma disputa que parece ir se limitando aos 4 Peugeots e 2 Toyotas, com o sul-africano De Villiers sendo o segundo representante da marca nipônica. O sétimo colocado, Ten Brinke, já está a mais de 30 minutos do ponteiro e não me parece, assim como os demais, ter fôlego para tirar essa diferença.

Quem vem tendo um início de prova para esquecer é mesmo a equipe alemã Mini X-Raid, seu melhor carro no dia foi o do polonês Jakub e na classificação geral, do argentino Terranova, em oitavo, distantes 35 minutos do líder. Esta segunda-feira, foi o dia de Hirvonen com o Buggy alemão perder muito tempo e sair da briga, além de Nani Roma com o modelo 4×4 dar um capote e também perder bastante tempo. Acredito que os carros da equipe em função da histórica resistência, devem terminar bem a prova, porém sem velocidade de seus conjuntos para brigarem pelo título.

Entre os brasileiros, Medeiros com seu quadri fez uma ótima Especial e terminou com o quarto tempo, porém muito em função da penalização do primeiro dia, está em décimo quinto no acumulado, com longas 2 horas e 45 minutos para o líder. Já a dupla Varela e Gustavo, após fantástica vitória neste domingo, sofreu nesta segunda-feira com uma falha de motor na primeira parte da Especial – após a solução do problema segue se recuperando e deve terminar o dia com o terceiro melhor tempo, com isso permanecerá em segundo lugar no acumulado. Zeca Sawaia e Marcelo, neste domingo não completaram a Especial. Depois de problemas de superaquecimento no UTV, acabaram voltando para o apoio e devem receber longas horas de punição – agora é focar em terminar a prova e evitar novas punições que possam levar a desclassificação. Eles ainda estão na Especial desta segunda-feira, porém “andando” e com o sétimo tempo nas parciais. Jorge e Idali, a única dupla brasileira entre os carros, seguem sofrendo muito nessa edição. Passaram a noite nas dunas, chegaram no apoio de manhã e praticamente seguiram direto para a largada nesta segunda-feira, sem tempo para manutenção nem para recuperação física, tendem a ter mais um dia dificílimo, na saga para se manterem na prova.

Nesta terça-feira, o dia será mais uma vez de dunas e deserto, 330 km cronometrados, com um ingrediente ainda mais especial, os carros largarão alinhados, 4 por vez, o que deve dar uma emoção ainda maior, pois entre os 4, quem estiver na frente estará vencendo – imaginem que na primeira largada estarão Nasser, Peterhansel, Sainz e Despres!

Youssef Haddad
Spinelli Racing

.

.

Próxima Etapa
9/1/2018 – 4ª etapa
San Juan de Marcona / San Juan de Marcona (Peru)
Deslocamento: 114 km
Especial (trecho cronometrado): 330 km
Total do dia: 444 km

Conheça mais sobre a Spinelli Racing Experience, empresa de desenvolvimento automobilismo e automotivo de Guiga Spinellie Youssef Haddad.
Acesse a página oficial no Facebook: https://www.facebook.com/pg/spinelliracing