Quer ter uma ideia do que é participar dessa categoria onde, diferente do rally de regularidade, é necessário atravessar dificuldades off road no menor tempo possível?
Confira o relato que o Davi mandou pra gente, da sua primeira participação nessa prova!

.

Por Davi Gonçalves

Equipe P1 P2 – Categoria Extreme – Cachorro Louco 2015

P1

Veículo: Troller
Piloto P1: Davi Gonçalves
Zeca P1: Weidner Moreira

P2

Veículo: Toyota Bandeirante
Piloto P2: Caio Fonseca
Zeca P2: Allan Costa

.

Como foi a prova

A prova do extreme 4×4, no Cachorro Louco 2015, teve duas etapas, que foram dividas em trilhas de 1 à 5 e 6 à 10. Foi feito pela organização do evento um sorteio para que não houvesse super lotação nos trechos especiais.

Cada trilha contava com um trecho cronometrado, a “Especial”, com diversos tipos de desafios: lama, erosão, barrancos, pedras, arvores caídas, valas e etc. A prova foi longa e muito difícil, tivemos que contar muito com a experiência dos pilotos e zecas e dos equipamentos de seus carros.

.

Primeira etapa

No sorteio nossa equipe iniciou a primeira etapa na sequência de trilhas 3, 4, 5, 1 e 2 (3- Trilha da Abelhinha, 4- Pedreira, 5- Trial da Pedreira, 1- Trilha Barro Preto, 2- Trilha do Chico). Trechos dificílimos, muito atoleiro, muito barranco, algumas erosões, trechos apertados de passar e muitas pedras!

Nosso foco maior era preservar o carro e os equipamentos para completar a prova, evitando ao máximo forçar o conjunto mecânico dos carros da dupla, pois não sabíamos o que estava por vir pela frente. Foi sofrido… mas concluímos a primeira etapa, onde para muitos nós não iriamos nem chegar.

Nesta primeira parte houve um grande número de desistência de participantes devido à quebras.

 

Segunda etapa

Logo em seguida, nos avisaram que na segunda etapa “seriam divididos os homens dos meninos” e não nos aconselharam a ir, mas não demos ouvidos e sem muita cerimônia partimos para a prova.

As trilhas eram na sequência de 6, 7, 8,9 e 10 (6- Trilha Morro Cinza, 7- Pedra Lisa, 8- Manilha, 9- Trilha do Tanque/Forno, 10- Anel do Primo).

O nível de dificuldade era maior, contando com travessia de rios, pedras pelas encostas, atoleiros e erosões.

O ritmo continuava bom, sem problemas mecânicos e sem tanta dificuldade até que na transição do trecho 9 para o 10 tivemos um problema no guincho de um dos carros devido ao excesso de uso e ai foi o início de uma jornada que parecia não ter fim, mas com muito companheirismo e os Zecas não mediram esforços.

Um dos carros já apresentava falhas na tração dianteira, o que ajudou a complicar a situação. Todos estavam extremamente exaustos e contando com o fim da prova. Começamos uma luta para desatolar os dois carros. Muita dificuldade para ancorarem dos carros e um dos guinchos apresentando falhas. Usamos todas as ferramentas que haviam em nossos carros e perdemos cerca de 1 hora e 20 minutos atolados, com muita força de vontade conseguimos seguir em frente.

Partimos para a última especial (trilha 10) já era noite e novamente o povo nos desestimulando dizendo que nós não iriamos conseguir completar a última etapa.

Não encontramos dificuldades tão grandes para enfrentá-la, apenas uma guinchada no veículo que estava sem tração e seguimos o restante fazendo em 4×3 e assim conseguimos concluir a prova totalizando 9 horas de percurso total e com tempo nas especiais de 4:54:12.

Ainda deu pódio!

No final, com a soma dos tempos feitos nas especiais conseguimos beliscar o pódio e ficar entre os primeiros colocados, com um 2º lugar!

Por ser a primeira participação da nossa equipe no desafio extreme 4×4 ficamos muito surpresos pelo resultado, e sabendo que poderíamos ter alcançado o ponto mais alto se não houvesse as falhas, o que nos deixou ainda mais mais satisfeitos com os resultados.

Devido a quantidade de equipes competindo com os veículos mais bem equipados do país, todos com altíssimo nível, decidimos traçar nossa estratégia de manter os carros o máximo que desse sem forçar para chegar até o final. E felizmente conseguimos alcançar o resultado!

Gostaríamos de agradecer à organização do evento, ao Jeep Clube de Curitiba, em especial ao Leonidas Ferrarini Junior, diretor de prova, que fez uma prova fantástica.Um agradecimento coletivo de nossa equipe que foi muito bem recebida na cidade.

Agradecemos também à Equipe Rota 4×4, Guinchos Work e Carlão Pneus de Monte Alegre do Sul.

.

Estamos aguardando ansiosamente para o próximo Desafio Extreme Cachorro Cachorro Louco. E até a próxima!