No off-road, não é por acaso que muitas duplas são formadas por casais (só no Transcatarina 2018 dezenas já estão inscritas). O fato é que a modalidade testa, renova e fortalece relacionamentos

Mais um grande evento do fora-de-estrada nacional está por vir: o Transcatarina que, em 2018, registrará a histórica edição de dez anos. A expectativa é de grid cheio, com pilotos e navegadores desbravando cerca de 800 quilômetros no Estado de Santa Catarina, entre Fraiburgo e Blumenau, com pernoite em Rio Negrinho. De 10 a 14 de julho, os mais diferentes perfis de off-roaders se misturarão neste encontro que possui as categorias Máster, Graduado e Turismo (de competição), e Passeio Radical e Adventure (de passeio).  

Neste Dia dos Namorados (celebrado na terça-feira, 12), lembramos que o Transcatarina não é feito somente de velocidade, terra e aventura. Ele também transcende o amor, a paixão e a cumplicidade de diversos casais que vivenciam juntos momentos de lazer e superação de limites. Das 145 duplas inscritas até o momento, 29 são formadas por casais. 

Do namoro ao casamento… A paixão pelo off-road uniu os navegadores Márcio Rückl Júnior e a Bianca Müeller Rückl, que começaram a namorar em 2008, durante a Fenajeep. E assim como o Transcatarina, em 2018 eles completam dez anos de relacionamento; deste amor, nasceu Pedro – hoje com um ano e dois meses. Dentro das trilhas, ambos competem ao lado de seus respectivos pais, Márcio Rückl e Dorivaldo Müeller, e assim, compartilham em família das aventuras fora-de-estrada.

“Nas edições de 2016 e 2017, a Bianca não pôde participar, pois estava grávida e, posteriormente, o nascimento do nosso filho. Mas ela sempre esteve presente comigo nas provas, seja como apoio ou competindo também”, contou Rückl Júnior, que acrescentou. “No off-road, para atingir bons resultados, temos que estar com o conjunto (carro, piloto e navegador) bem alinhado, e desta mesma forma funciona um relacionamento amoroso”. 

A união nas trilhas também estará representada no casal Rodrigo Juliano Borges e Tamara Sardagma, juntos há quase quatro anos. O piloto esteve na primeira edição do Transcatarina (2009) como navegador pela categoria Júnior. “São dez anos e não dá para acreditar. Lembro que naquele ano eu ganhei o primeiro troféu do Transcatarina – terceiro lugar como navegador Júnior (nem era Turismo ainda). Eu mal sabia mexer no Totem, era a minha primeira vez com este equipamento”, recordou-se Borges, que continuou. “Comecei no Transcatarina, graduei-me (fui campeão) e tornei-me Máster. Hoje sou piloto e disputo ralis com minha namorada”. O piloto disse que está ensinando Tamara a navegar, e que as competições trazem para o relacionamento o espírito de equipe, cumplicidade, doação e superação. “Os grandes aprendizados são a capacidade de agir sob pressão, errar e superar erros e, principalmente, nunca desistir”

E quantas histórias o casal Marcelo e Maria Celiane Morceli Campos tem para contar ao longo de sete anos de off-road? O piloto contou que Maria Celiane começou a acompanhá-lo em 2011, no Javan, uma trilha na Serra da Cantareira em SP, e desde então as trilhas têm feito parte da rotina de ambos. “O que o off-road traz para nós é o companheirismo e a chance de conhecer lugares incríveis, além de fazermos grandes amigos”. Eles são participantes da categoria Adventure, e seguirão pela terceira vez ao evento. 

Da construção do amor para a construção de móveis

Tudo que é feito com amor se transforma em sucesso, e com a construção de mobílias não é diferente. O navegador Márcio Rückl Júnior herdou a paixão pelo off-road de seu pai, o piloto Márcio Rückl, que por sua vez, herdou a paixão pela construção de móveis de seu pai, Linus Rückl. “Nossa família trabalha com móveis desde 1972, sendo que em 1995 abrimos a nossa própria fábrica, a Le Mani. Iniciamos com três colaboradores e hoje contamos com 235” contou Rückl que é diretor industrial da empresa. “Mobiliamos a casa toda, com móveis fabricados sob medida, seguindo projetos de arquitetos de alto nível. Também atendemos o mercado europeu, com uma média de 14 mil unidades por mês, dos mais variados modelos de móveis (todos fabricados em pinus)”, contou Rückl, destacando que o litoral catarinense é um forte mercado para o segmento. 

Com 22 anos de atuação e há um ano como patrocinador do Transcatarina, o piloto afirma que o evento promove maior visibilidade para a marca e os deixa mais motivados em melhorar a imagem e o atendimento da exigente clientela. “Nosso intuito é ficar cada vez mais competitivo, buscar por novas tecnologias para corresponder as expectativas dos clientes e sermos reconhecidos por termos excelentes produtos”, afirmou Rückl, reconhecendo o ótimo público e o alcance que o Transcatarina possui.

.

.

Informações divulgadas pela assessoria de imprensa.