Nas motos Elias Folly, Josemar Mello, Neto Malassise e Luís Fernando Nutti também cumprem o objetivo do primeiro dia de prova. Nesta segunda-feira partem rumo a Posse

Foram 315 quilômetros contra o relógio para acelerar e, ao mesmo tempo, poupar o veículo em trechos mais sinuosos de uma exigente etapa entre Goiânia e Formosa (GO), mas Fabrício Bianchini/Adhemar Pereira “Índio” #230 conseguiram driblar as adversidades do percurso do primeiro dia da 26ª edição do Rally dos Sertões. No domingo, a dupla da Bianchini Rally completou a primeira Especial, bordo do Can-Am Maverick X3, em 6h24m39s, em um dia com total de 690 quilômetros.

“É impressionante como o UTV é rápido e ultrapassa certos obstáculos com facilidade. Foi bom estrearmos na categoria direto em uma Especial como essa e estou me adaptando bem. O objetivo era completar o dia, sem corrermos riscos e foi o que fizemos”, diz Bianchini que fechou em 17ª na UTV Pró Turbo. “O Índio fez uma boa navegação e nos divertimos, agora, que venham as próximas etapas”, completa o piloto que já participou de 24 edições mas encara um novo desafio ao lado do amigo, também piloto de moto.

Nas motos a equipe participa desta edição com seis pilotos, sendo três estreantes na prova. Elias Folly #33 (KTM 450 EXC) teve o melhor desempenho mesmo tendo problemas, fechou em 4º na Production Aberta e em 14º na geral (6h07m46s). “A Especial foi muito difícil. Faltando 120 km para terminar o suporte tanque traseiro quebrou. Vazou gasolina e tive de terminar segurando o tanque e ir devagar para não ficar sem combustível, mas no final deu tudo certo”, diz piloto de Londrina (PR) que teve um dia de superação.

 

Josemar Ferro #44 (Kawasaki KLX 450) foi outro que completou entre os 20 primeiros, de um total de 46 na categoria motos. “O dia foi bem puxado, mas estava muito concentrado e foco no objetivo de chegar à cidade de Formosa e primeira etapa concluída”, comemora o outro paranaense, que chegou em 3º na Over 45 e ficou 17º na geral (6h07m41s).

Consciente da estreia em uma etapa longa e temida, Neto Malassise #59 (KTM 450 EXC-F) preferiu ir com cautela para poupar o equipamento e não levar sustos. “Fiz a minha prova, fui numa tocada tranquila e deixei para acelerar faltando cerca de 50 quilômetros para o final da Especial”, explica o competir que completou em 5º na Marathon e na 24º posição na geral (6h20m48s). Já Luís Fernando Nutti #37 (KTM 450 EXC) teve alguns problemas a partir do KM 180 e foi obrigado a pilotar com cautela até o final da prova, tanto que terminou em 8º na Over 45: “Agora é trabalhar para conseguir melhorar o resultado na próxima etapa”, destaca Nutti. Dois pilotos tiveram problemas e não completaram a Especial: Dimas Barreira #52 (KTM 450 EXC) e Diego Guper #51 (KTM EXC-F 450).

O desafio desta segunda-feira será a Especial entre Formosa e Posse, ainda no estado goiano. Nesta segunda etapa serão 386 quilômetros dos quais 307 de trecho cronometrado.  O rali termina no próximo sábado, 25, na Praia de Iracema, em Fortaleza, após passar por Bahia, Piaui e chegar no Ceará.

Trajetória da equipe – A Bianchini Rally nasceu em 2005, quando Fabrício Bianchini decidiu montar a sua própria equipe em Barueri/SP. Dois anos depois, com patrocínio do Grupo Infinity Bio Energy, juntamente com o piloto Marcos Finato, desenvolveram as primeiras motos de rali movidas a álcool no Brasil. Pioneira com o projeto tornou-se a primeira equipe Carbon Free do grid. Entre 2007 e 2010 se chamou Infinity Rally Team e, a partir de 2012, passou a adotar o nome Bianchini Rally. Em 2007 e 2008 foi premiada como Melhor Equipe do Rally dos Sertões. Pela tradição e profissionalismo conquistados, o time trabalha com pilotos campeões do segmento Duas Rodas no Rally dos Sertões, Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country e Rally Baja. Entre as temporadas de 2013 e 2016, a equipe disputou com duas duplas a Mitsubishi Cup. Em 2016, Bianchini estreou no Rally dos Sertões como piloto nos carros, ao lado de Caio Santos, e terminou em sexto na geral. Além de competir nas motos (3º na geral no Brasileiro de Baja) em 2017, Bianchini encarou um novo desafio e estreou no Rally de Velocidade com um Peugeot 207 e garantiu pódio nas três provas que participou: Rally de Holambra, Rally de Erechim e Rally da Graciosa. Em abril de 2018, a dupla Bianchini/Damon Alencar foi Campeã do Rally RN1500 na Protótipos T1, com o T-REX.

Mais informações no site www.bianchinirally.com.br, no Facebook: @equipebianchinirally e Instagram:@bianchinirally

A Bianchini Rally conta com os apoios da SHIRO, Borilli, Óculos 100%, O Mundo de Maria, Bull Sertões Rally Team, Vedacit e Rede Petrolam.

.

.

Informações divulgadas pela assessoria de imprensa.