Sempre que tem rally na região de Brusque e Joinville todo mundo já pensa: prova lisa!!! E na terceira etapa da Copa Troller, que aconteceu em Brusque sábado passado, não poderia ser diferente.

Nosso amigo Cesinha esteve por lá e conta pra gente como foi!

 

Por César Augusto Pereira 

Foi bom até quando durou.

Olá,  meus amigos amantes do Off Road, sou César Augusto Pereira mais conhecido como “Cesinha” tenho  26 anos e sou mais um apaixonado pelo mundo off Road, e dessa vez vou ter o prazer de relatar uma de varias etapas que já fiz de rally de regularidade como Navegador.

E essa etapa foi a última etapa da Copa Troller, dias 26 e 27 de Junho de 2015, que aconteceu na Cidade de Brusque, Santa Catarina.

Iniciando um longo dia estava dando tudo muito certo desde a saída da minha casa de Bragança Paulista, aonde fui de carona com meu amigo Davi Gonçalves até São Paulo Capital, e não pegamos transito algum, aí já se foi 1 hora de estrada,  e lá encontrei com o meu piloto e amigo Marcio Augustinho ( com 10 minutos de atraso ,normal de um cidadão Bragantino…rs ) e dali mais uma paradinha rápida para encontrar mais uma dupla de amigos que participaram do evento e nos acompanharam, mais 8 horas de estrada, na qual não pegamos transito e a viagem correu tudo como planejado.

Chegamos a Brusque-SC já era umas 19:30 fizemos todo protocolo da inscrição, e partimos para um delicioso Café oferecido pela  organização da Copa Troller (por sinal a muito tempo não era servido um Coffee  Break  tão bom como foi o dessa etapa ), aonde revimos amigos e tivemos várias conversas sobre rally.

E as 20:30 hs  partimos para o Briefing, aonde foi  falado a novidade  que a Troller lançou uma  etapa única chamada Troller Brasil que acontecerá nos dias 13 e 14 de novembro de 2015 na cidade de Itapeva-MG e depois o grande diretor de prova  Weidner nos deu a honra de  suas palavras, falando sobre a prova. Ele falou de todos os lugares perigosos, falou tudo que podia acontecer de errado, eu como navegador marquei e escutei tudo, depois do Briefing, descanso.

No sábado dia 27, acordamos cedinho, tomamos café e partimos rumo a nossa primeira largada juntos, pois essa foi minha primeira prova navegando o Marcio, largamos as 8:54. A expectativa de fazermos uma boa prova era grande, até ai tudo muito legal e bonito, lógico tudo estava dando certo!

Largamos fizemos um  deslocamento tranquilo e chegamos no ponto inicial da prova onde começamos a perder ponto, o Evo apitar e tudo dar errado.  Andamos muito bem no inicio da prova, onde eu vi que o dia seria tenso, pois precisei em menos de 20 Km arrumar o Evo várias vezes e o piso estava muito liso.

Chegamos no tal reflorestamento 1, liso para entrar e já tinha logo uma pegadinha, fizemos essa pegadinha e entramos, logo de cara, com 2 carros fechando a estrada, eu olhei para Marcio e falei e “Agora?” nessa parada já foi 1 minuto e pouco de prova perdida  e nada desses carros saírem do lugar, demos ré e saímos  fora. Optamos por parar fora da primeira parte do reflorestamento, me achei na planilha e paramos em um poste no qual era um neutro de 50 segundos, chegamos nesse poste o carro numero 64 tava parado, éramos 78, (é realmente perdemos essa prova e caímos na risada).

Nesse entre meio, na espera de nosso tempo, olhei no retrovisor e vi um troller caindo de lado em uma valeta.  Logo depois, outro atolando na saída do reflorestamento 1. Depois disso, não sei o porque, mas todo mundo passou reto nesse neutro aonde esperávamos dar nosso tempo.

Pensando em não atrapalhar ninguém, pois largaríamos no nosso minuto, andamos cerca de 1 Km de planilha entramos em outro reflorestamento, que ainda fazia parte do 1, onde estava muito liso. Andávamos normal sem abusos, quando uma árvore resolveu entrar na frente do nosso carro e já estávamos  atrasados.

Saímos dela sem nenhuma dificuldade  e seguimos rumo a nossa segunda prova, mas para nossa alegria não bastava perder a primeira parte de reflorestamento, nem bater na árvore, atolamos antes de chegar na segunda prova em um lugar x, que nem  foi citado no Briefing, mas na planilha falava, passe pela esquerda, brejo a direita, o único lugar que daria para passar a esquerda tava plantado eucalipto,  ai começou a minha jornada de navegador!

Fui descer do Troller a porta não abria, estava com barro até o meio da porta, sai pelo lado do piloto rapidinho, olhei para Marcio e falei: onde está o controle do guincho? Ele me respondeu  prontamente: está no porta mala. Procurei e nada, ai o Marcio lembrou que estava numa mala no carro do nosso amigo Iran. Nisso achei uma cinta e amarrei no engate do nosso carro, logo após chegou carro 74 e foi chegando  assim um atrás do outro, isso em um tempo muito curto, fechando esse trecho, ou seja paramos a prova RS…

Depois de uns 10 minutos parados fomos tirados do atoleiro para traz, ou seja precisávamos tentar transpor esse obstáculo novamente. Olhei no Evo, já eram 25 minutos parados.  Fomos para 2ª tentativa e atolamos de novo. Olhei 4 carros atrás  do nosso e tinha um guincho parecido com que estava no nosso carro, peguei o controle emprestado, soltamos o cabo, passei em uma árvore e passamos o obstáculo. 35 minutos parados! Como meu espírito off Road falou mais alto, optei por ajudar os demais competidores a transpor o atoleiro, onde mais uns 4 carros ficaram atolados.

Ali foi o fim da nossa prova, saímos com 50 minutos de atraso desse reflorestamento, onde logo já iniciaria a 2ª prova, a qual já estava perdida com todo ocorrido que aconteceu! Dali nem pensamos em 3ª prova, decidimos abandonar, fomos rumo ao nosso hotel  tomar um banho, pois eu  estava muito sujo de barro. No caminho paramos em um posto, já mandamos lavar o Troller (pois estava com muito barro na roda e seria impossível voltar para  São Paulo desse jeito), almoçamos, tomamos nossa cervejinha merecidamente e torcemos muito pelas conquistas  de nossos amigos.

Tirando tudo que ocorreu com a gente estava uma prova muito boa, porém muito lisa, se tornando perigosa e podendo danificar muito os carros.

Dormimos em Brusque e logo pela manhã saímos rumo a nossas casas, com muita alegria e história para contar, de mais um fim de semana delicioso de Rally! Esse sem um resultado muito expressivo,  mas com uma experiência desigual .

Quero deixar aqui o meu muito obrigado a todos que de uma forma ou de outra nos ajudaram a sair do atoleiro e agradecer ao Marcio pelo convite de me chamar para ser seu navegador. Experiência única e vamos com tudo para etapa de Vitória-ES em Setembro .

 

Abraços,

Cesinha

.

Cesinha conta com o apoio de: SFI ChipsIntegral Impermeabilização e ConstruçãoAuto Mecânica Sapinho – Especializada em 4×4 e EngeTruck.

 

Confira aqui o resultado da prova:

Mais fotos e informações da prova podem ser vistos no site da Troller (clique aqui).