O nove vezes campeão do mundo de rali, WRC, #309 Sebastien Loeb acelerou tudo o que pode na segunda etapa do Dakar 2017, que ligou Resistência e San Miguel de Tucumán, na Argentina, e saltou para a frente da geral dos automóveis, de sétimo para primeiro lugar.

“Hoje realmente foi o primeiro dia do Dakar. Com a especial mais longa, a vitória do Loeb não foi surpresa nenhuma, a gente acompanhou a mesma coisa ano passado. Ele realmente vai andar muito rápido, como em qualquer categoria que ele anda até hoje. Não apenas a experiência que ele tem do WRC, mas sim porque ele é um piloto diferenciado em qualquer modalidade automobilística que ele anda. Não acho que a vitória é apenas hoje, acredito que o Loeb ainda vai andar na frente nas próximas especiais, exatamente como foi sua evolução em 2016, até chegarmos no deserto, onde ele não conseguiu acompanhar os pilotos mais experientes ano passado”, comenta Guiga Spinelli.

“O leão voltou a rugir no Dakar. Hoje não teve pra ninguém… O Top 5 do dia fica com 3 Toyotas e 2 Peugeot, mostrando que a briga do ano deve ser entre as duas marcas. Vale destacar as diferenças entre os dois modelos, os Peugeot são 4X2, diesel e bi-turbo enquanto as Toyotas são 4X4, gasolina e aspiradas, vejam que interessante, apesar de serem conceitos completamente diferentes, estão andando no mesmo ritmo”, complementa Youssef Haddad.

Quem ainda não desencantou neste Dakar foram os companheiros de equipe, os franceses Stéphane Peterhansel / Jean-Paul Cottret (Peugeot 3008 DKR), campeões do ano passado, fizeram o sétimo tempo e após duas etapas estão na sétima colocação, já com mais de sete minutos para o líder. Embora em 2016 ele iniciou o Dakar da mesma forma, nas primeiras especiais mantendo o controle e não se destacando, para na metade do rali, ai sim, com “pé no fundo” terminou o rali deixando todo mundo pra trás.