Com o carro número 34 e rastro número 34, na 4ª etapa do Paulista Off Road ficamos em 4º, sabe o que isso significa? Nada!!! hahaha Mas são as coincidências que encontramos por aí…

Apesar da escassez de água que assola São Paulo,  a noite de sexta para sábado foi bem molhada em São José dos Campos e região, o que deixou a prova do Paulista muito, mas muito mais emocionante (entenda como: piso liso, impossível manter as médias, vários momentos tensos e sorrisos nos rostos dos pilotos na chegada…).

Tudo começou com o briefing na sexta, que aconteceu no Vale Sul Shopping, onde o Clayton (diretor de prova) avisou que havia feito duas planilhas, uma com velocidades para seco e outra para chuva e, felizmente, tinha escolhido a de chuva. Após uma breve explicação e alertas para pontos que poderiam estar mais lisos e precisariam de mais atenção fomos para o Bar do Coronel para tentar dar uma amenizada na tensão.

Depois de chover a noite toda, sábado de manhã foi hora de baixar os pneus e se preparar para largar. Nosso tablet teve um “piti” e corremos somente com o EVO.  A câmera 360º que levamos para testar também resolveu “não dar o ar da graça”…

Largamos e após um pequeno deslocamento chegamos no começo da prova mesmo, que já começava com uma poça de barro, uma pequena amostra do que viria pela frente!

A primeira parte teve cerca de 2 horas e meia de duração e grande parte foi dentro de fazendas, com vários laços grandes e muiiiiiito barro! Era impossível manter as velocidades da planilha com segurança, mesmo estando com pneus para barro, e por isso atrasamos muito (como todo mundo, ou quase, ainda não sei como o Celso conseguiu aquela pontuação, parabéns Celso!!!).

Durante o briefing foi avisado que a segunda fazenda dessa primeira prova estaria muito lisa. Bom, depois de passar pela primeira fazenda onde era impossível andar, eu quase desisti da prova, porque se a segunda fazenda estivesse pior com certeza não conseguiríamos andar no tempo e a chance de um acidente desnecessário era muito grande. Apesar de tudo, o Léo quis continuar e a segunda fazenda estava bem melhor que a primeira para andar, mas mesmo assim ainda tinha alguns trechos lisos e também tivemos alguns atrasos.

“Realmente a prova estava muuuuito lisa, como o Clayton disse no briefing. Levamos vários sustos durante a primeira etapa… cada vez que tentávamos manter a velocidade, os barrancos e eucaliptos se aproximavam cada vez mais… e quantos sustos. Mas andando no meu limite de segurança, realmente foram apenas sustos, não chegamos a passar por momentos de perigo, tinha o controle do carro em cada escorregada e, ao longo das provas, a gente vai aprendendo a andar nestas situações. O freio do carro não ajuda em nada com o ABS ligado, ai vale a experiência que vamos adquirindo com os rallys… freiar nestas horas não é o correto  e, sim, utilizar uma marcha mais baixa e manter o carro tracionado com uma leve aceleração, quando chega a curva aponte o carro pro lugar correto e pisa fundo!”, comentário do Léo.

Saindo dessa fazenda fizemos um pequeno deslocamento e chegamos no posto Ola, na Rodovia Carvalho Pinto, onde foi o neutro.

Depois do neutro fomos sentido Caçapava Velha e a segunda prova começava na fazendo onde aconteceu o Rally Paulista de Velocidade (clique aqui para conhecer). Nessa fazenda o piso estava bem melhor e era possível manter as altas médias da planilha.

Para finalizar a segunda prova, andamos na conhecida “pistinha da CBA”, com direito a alguns balaios, médias altas, poças de águas e até vaca no caminho, foi a melhor parte da prova.

Saindo da pistinha pegamos a Rodovia Dutra e seguimos até a Concessionária Troller Trilha Serramar, em Taubaté, local da chegada com direito a um belo churrasco fogo de chão e chopp para todos os participantes (e também refrigerante para os motoristas da rodada…). Fica nosso agradecimento especial ao Henrique Pucci, da Serrramar, pela excelente estrutura e recepção impecável!

Depois da lambança na primeira prova não estávamos esperando uma boa colocação, mas quando saíram as parciais vimos que todo mundo tinha atrasado na primeira parte e talvez tivéssemos alguma chance.

Dessa vez a premiação começou pela categoria turismo e logo descobrimos! Daniel e Mirella ficaram em 5º, Eu e Léo em 4º, Alexandre e Silvana em 3º, Alex e Cesinha em 2º (com uma pontuação extremamente baixa, mandaram muito bem no barro!) e em 1º lugar o Luiz Renato e a Débora, de Pouso Alegre.

Para nossa equipe não poderia ter sido melhor! As três duplas do Tulipa Rally Team que participaram foram para o pódio, em uma prova bem complicada esse resultado foi excelente.

Nas categorias graduados e máster as pontuações também foram elevadas pois eles também tiveram muita dificuldade para andar na primeira prova e como a velocidade deles era maior que a nossa o atraso também foi maior.

.

Você pode ver mais fotos em nossa página no facebook, clique aqui!

E nesse link o resultado da prova.

.

Deixamos aqui nosso agradecimento ao Clayton e ao Paulo “Animau”, e à toda equipe que organiza o Paulista Off Road, assim como às empresas que apoiam o evento, sem vocês essa festa não acontece!

Lembrando que o Campeonato Paulista Off Road 2015 tem: Patrocínio: Miltfort e SJM 4×4 Auto Parts. Apoio: Trilha Serramar – Troller, Vale Sul Shopping, Logo & Tipos Comunicação Visual, TNT, Olavo Bilac Apart Hotel, We Seguros, SFI Chips, F D Stand e Display, Perola dos Tapetes, SDV, Mais Off Road e Prefeitura Municipal de São José dos Campos e Prefeitura Municipal de Taubaté.

A próxima etapa do Paulista Off Road acontece em 5/12/2015 em Pindamonhangaba/SP, em breve mais informações.

.

Aconteceu uma coisa chata no final, um dos troféus do Daniel e da Mirella que estavam em cima do capô do carro sumiu, talvez alguém tenha pegado por engano, dá uma conferidinha no seu aí 😉

.

Mas também aconteceu uma coisa muito legal!

Ano passado, nessa mesma data, também aconteceu uma etapa do Paulista Off Road e o Paulo Animau acabou resgatando uma cachorrinha que estava na trilha, amarrada, muito maltratada e faminta! Ela virou a Zequinha e foi nos visitar na chegada do rally, onde a Lu contou toda a história.

A Zequinha está linda! Parabéns pela atitude Paulo Animau e também a Lu por a terem adotado! 🙂

.

.

Para finalizar esse post enorme, gostaria de deixar um apelo para todos os organizadores de rallys: não façam provas no mesmo dia!!!

Sabemos que as federações e a CBA deveriam controlar isso melhor e que existem vários fatores que precisam ser levados em conta, mas por favor, não façam provas no mesmo dia!!!

Sábado tivemos dois grandes rallys em cidades próximas (Paulista Off Road em São José dos Campos/SP e Rally Estado de SP em Sorocaba/SP) que obrigaram os participantes a escolher um deles e acabaram dividindo o público (inclusive nossa equipe 🙁 ), quando poderíamos ter tido duas provas com o dobro de grid, fortalecendo nosso esporte.

Todos os participantes agradecem! 🙂

.

.

Apoiadores