Antes de ler este post, é muito importante ver este vídeo em primeiro lugar.

.

Agora sim… rsrsrs. Este foi o primeiro rally da Tatiana Oliveira e da Raquel Gomes Spineli (Nagila). E como puderam ver no vídeo acima, nem por terem se perdido no deslocamento da prova, perderam o bom humor e deixaram de se divertir. Conversamos com a piloto Tatiana para saber um pouco mais sobre o desfecho desta prova. Acompanhe com a gente.

 

Tulipa Rally: Tatiana, de onde veio a ideia ou convite para participarem do primeiro rally?
Tatiana: Eu sempre tive muito interesse em rallys, pois gosto  do mundo de motores e velocidade, mas eu não tinha tido contato com alguém que praticasse. No início deste ano, conheci o Daniel Manse aqui no trabalho, em uma mudança que fiz de área. Dai ele me falou que era possível participar sem necessariamente ter um carro só para o esporte. Então decidi que iria entrar nesse mundo!

TR: Qual o carro que participaram da prova? Já participavam de outras aventuras 4×4 com ele?
T: Participamos com o meu carro, um All New Triton que eu e meu marido compramos em agosto, já com a finalidade de participar das provas de rally. Desde agosto, quando peguei o carro, participei de um curso de pilotagem da MIT, sob coordenação do Isac Pinto, e no feriado de 12 de outubro passamos 4 dias na Serra da Canastra, onde fiz todos os roteiros por trilhas off-road. Foi incrível!!

.

Sem meu marido eu não teria conseguido. Ele eh meu super parceiro! Me apoia em todas as minhas loucuras!

.

TR: Você teve algum receio em participar do rally pela primeira vez? O que você achava que era antes de participar da primeira prova?
T: Acho que o único receio era o de “arrebentar” o carro e não ter cobertura do seguro! Kkkkk. Eu achava que seria legal, mas não imaginava que fosse tão empolgante. Realmente ficamos apaixonadas!

TR: O curso com o Isac deu segurança para conduzir a Triton no rally?
T: O curso é muito legal! Claro que eu tive a oportunidade de começar nesse mundo off-road com um “avião”!!! pois a All New Triton é um carro incrível! Mas com certeza o curso me trouxe muita segurança, além de dicas que acho fundamentais para a transposição de alguns obstáculos e o uso correto das funcionalidades do conjunto 4X4.

.

Recomendo o curso com o Isac.. O conteúdo é muito bom e a equipe é sensacional!

.

TR: Vamos falar sobre a prova. Qual a principal dificuldade que vocês encontraram na navegação do rally?
T: De cara, como da pra ver no vídeo (rsrs) foi a leitura das tulipas. Depois foi o sincronismo com o tempo no cronômetro X planilha. Mas após os primeiros 20 minutos, já pegamos o jeito e o restante da prova foi animal!

TR: Vimos pelo vídeo que no deslocamento vocês tiveram mesmo esta dificuldade e depois se acertaram e seguiram em frente. Porque não desistiram no começo e seguiram em frente com esse bom humor e alto astral?
T: A Nagila e eu temos um perfil bastante diferente da maioria das mulheres rsrs. Adoramos desafios, somos super competitivas e não desistimos fácil de nada. Acho que é por isso que ficamos amigas. Além de sermos as duas bastante extrovertidas. Por isso levamos as coisas sempre com bom humor. A ideia é sempre curtir ao máximo essas experiências, e é claro nos divertir, afinal o stress no dia a dia já é suficiente, né! Não da pra fazer algo como um rally pra ser estressante também. Mas competição não ficou em segundo plano não. E mesmo quando formos “top” nas competições (e um dia seremos, pode ter certeza!) não deixaremos de ter essa leveza e curtir cada momento.

TR: No final das contas, conte para gente o desfecho do vídeo. Conseguiram entrar no tempo da prova? Tiveram outras dificuldades?
T: Foi muito legal. A segunda metade da prova foi ótima. Pegamos o jeito e seguimos super dentro do tempo. Pena que o erro no início tenha nos penalizado tanto. Mas na próxima já iremos bem mais alinhadas! Não colocamos o desfecho no vídeo pois a gravação nos trechos de terra ficou com muito barulho, pois o suporte da GoPro tremeu muito, e cobriu o som nos vídeos 😩.

TR: Conseguiram entrar no tempo da prova?
T: Conseguimos sim. Fomos recuperando minuto a minuto (eu literalmente enfiei o pé no acelerador! Kkkkk). Qdo chegamos na parada de 30 min (neutro), já estávamos dentro do tempo. Tanto que pudemos aproveitar os 30 min de descanso para nos preparar para a 2ª parte da prova.

TR: E a preocupação com o carro? Sua Triton é Casca Grossa mesmo?
T: Nossa, estou impressionada e apaixonada por este carro! Tanto na cidade qto na terra ela eh incrível! Já avisei meu marido que não troco por nada! Kkkk

TR: E no final? Valeu a experiência? Bóra pro próximo rally?
T: Com certeza valeu! Estamos apaixonadas! Que venham os próximos em 2018.

.

Preciso agradecer a Nagila, minha navegadora. Se não fosse por ela, eu não teria conseguido participar. E ela é uma excelente parceira!

.

.

É isso ai… a dupla ficou na 115ª posição e não vê a hora de participar da próxima prova, e até está querendo mudar uma viagem internacional só para poder participar da última etapa do Mitsubishi Motorsports, dia 25/11, no Velo Città – Mogi Guaçu. Será que elas curtiram a brincadeira ou não?

E você? Vai ficar parado ai com seu 4×4 na garagem? Vem pro rally!!!