Existem diversas provas que são um marco no calendário de rally de regularidade nacional, mas para nós uma das mais esperadas do ano aconteceu semana passada. Uma prova muito importante, não só pelo desafio técnico, uma prova deliciosa para pilotar e desafiadora para navegar, mas pela sua importância social principalmente. É o Rally da Solidariedade, organizada pelo nosso amigo Duda e os parceiros do Amigos da Trilha.

Já participamos desta prova por diversos anos, digamos que foi um dos primeiros rallys que eu, Léo, particularmente participei, e este ano fomos um dos primeiros a se inscrever logo no dia em que abriram as inscrições. E a expectativa para o rally não poderia ser diferente dos outros anos, sempre com muita lama, muitos balaios, e com muitos, muitos amigos participando também, sempre com a esperança de levar um troféu para casa, mas com certeza todos com um objetivo em comum, arrecadar o máximo de alimento possível para ajudarmos o próximo.

Este é o grande objetivo da prova, que este ano completa 15 anos, arrecadar alimentos e de quebra um dia de muita diversão para nós, amantes do rally. E claro que este final de semana não podia ser diferente. Mesmo que tenhamos nos inscritos na prova e no final das contas não participamos do rally, com certeza não deixaríamos de prestigiar o evento, então fomos aproveitar o almoço e encontrar todos os amigos que sempre estão presentes na prova, mesmo com toda a crise que o país está vivendo, e com todos os finais de campeonatos de rally que também estão se encerrando.

“Neste momento passa uma história pela minha cabeça. Deveríamos este ano não ter realizado esta etapa, por todo o cenário que vivemos hoje, mas a ajuda de todos que fazem parte dos Amigos da Trilha me deu muita força para estarmos aqui hoje e conseguir chegar nos 15 anos do rally”, comenta Duda, organizador da prova.

.

.

Muitos apostaram em um rally extremamente liso, como o que vivenciamos nos últimos anos, e era o que realmente o tempo indicava, muita chuva na região nas semanas que antecederam a prova. Todo levantamento do rally foi feito debaixo de chuva, as plantações de cana, paisagem predominante na região, e os terrenos com muita terra fofa que facilita o acúmulo de água, deixam o chão cada vez mais liso e uma dificuldade maior ainda aos competidores, mas não foi bem assim que aconteceu esse ano… por mais que passaram por alguns trechos muito lisos e com lama pela frente, o tempo ajudou os rallyzeiros com um sol de rachar e muito calor.

“Um destaque desta prova é a especial para a categoria light, que experimenta o que é um rally de verdade, o que antes era uma prova mais em linha, hoje os competidores experimentam na pele o que é uma prova pegada, cheia de balaios. Eles queriam entender porque o pessoal das categorias acima gosta tanto do rally”, comenta Duda.

Outro diferencial do rally é a categoria 4×2. Nós viemos do rally de regularidade 4×2 e acreditamos que seja a porta de entrada do rally, e o Solidariedade continua acreditando e apostando na categoria, presente em todos estes anos de rally.

“A gente continua insistindo na categoria 4×2 exatamente por esta causa, que é a porta de entrada. O brasileiro é apaixonado por carro, então quem tem um 4×2 vem para o rally, brinca junto com a gente e pega gosto pelo rally. Depois o segundo passo é natural, como aconteceu com vocês. Conheci você e a Priscilla correndo de 4×2 e hoje estão competindo no 4×4. Acreditamos mesmo que a partir do 4×2 que se dá a continuidade do rally”, afirma o organizador da prova.

Depois de uma prova com duração de 4 horas na região de Sumaré/SP, a festa de premiação que aconteceu no AAM – Associação Assistencial Montemorense com bebidas e comidas feitas com todo o carinho pela associação que cuida dos velhinhos no asilo, recebeu os competidores, todos com sorriso no rosto pela oportunidade de se divertirem no rally e ainda ajudar o próximo.

Na premiação, os vencedores do verdadeiro rally, não foram aqueles que fizeram menos pontos, isto realmente ficou em segundo plano, mas foram os 70 participantes do rally que doaram ao menos 30 kilos de arroz para a festa de outras pessoas que precisam muito de nossa ajuda. Digo que doaram ao menos pois realmente vários participantes do rally levam muito a sério o real objetivo da prova, inclusive, como Alcides Germano, campeão da categoria mais importante do Rally da Solidariedade: Campeão da Solidariedade, com quase 2 toneladas e meia de arroz arrecadados apenas nesta edição do rally.

“Esta competição é o que move nosso rally, o que faz com que a cada ano nos dê forças para realizarmos esta prova. Para ter uma ideia, um único competidor doou sozinho mais arroz que a soma de todos os 30 quilos de cada um dos 70 competidores do rally. E não é que ele tira do seu próprio bolso, ele faz uma campanha meses antes entre seus amigos para cada um ajudar um pouco e ele fazer uma doação em nome de todos os que ajudaram, e consegue chegar nesta grande doação. É muito bom isto”, finaliza Duda.

Nosso amigos Daniel Manse e Mirella Kurata, também não perdem esta prova por nada e nos contam como foi sua participação:

“Solidariedade recompensada. Acho que essa pequena expressão diz tudo sobre a prova de Sumaré! Desde 2011 quando começamos juntos no rally, eu e minha esposa/navegadora Mirella Kurata participamos de todas as edições dessa prova, e sempre vale muito a pena! Este ano não foi diferente. A região é fantástica, adoro andar em canavial e a combinação de dias de chuva durante a semana com um dia ensolarado na prova foi perfeita! Com velocidade na medida certa pra diversão com segurança, Anselmo como sempre nos brindou com boas pegadinhas e uma prova bem dinâmica.

Na 1ª parte da prova tivemos problemas com o hodômetro, não conseguimos aferir bem o carro e a Mirella teve bastante trabalho. Nesse ponto o Rabbit ajudou demais, com a função de jogar a metragem da próxima referência pela botoeira, e também com a aferição sugerida, onde o aplicativo foi sugerindo correções na aferição com base nas correções feitas no decorrer da prova.

Após o neutro mais alegria e diversão, quase sem correção de hodômetro, só concentração nos pedais e na planilha, tive tempo até para apreciar uma lebre e uma coruja no trajeto (mesmo sob protesto da navegadora, que queria mais concentração hahahaha). Só não encontrei o rio que Mineiro e Eveli cruzaram…

Na chegada a mesma festa de sempre, grandes amigos e muitas risadas. Esse é o espírito do rally! Quando saíram as parciais, descobrimos que num erro no 1º balaio da prova saímos da trilha e acabamos pegando um PC 10min adiantado, mas como todos os competidores haviam errado em algum ponto também, mantivemos a esperança e….. 3º lugar pra nós! =D

Parabéns e obrigado novamente ao Duda, Josi e toda equipe! Mais uma prova com sucesso!

Único ponto negativo na minha opinião: é anual! Deveria no mínimo ser semestral 😉

.

.

E se você estiver curioso pelo resultado das categorias do rally mesmo, tudo bem, por menos importante que seja para todos, confira o resultado oficial depois de uma análise pela organização de uma dúvida que foi gerada durante a apuração, que reforço aqui para todo mundo, que isto é o de menos, pois todos foram vencedores no rally, e pode contar com a gente novamente em 2017, correndo ou não, estaremos lá fazendo nossa parte e prestigiando esta maravilhosa festa que vai para sua 16ª edição.

4×4 Graduados
1º Ernesto Masamitsu Kabashima / Luiz Durval Brenelli de Paiva
2º Jose Carlos Batista / Onivaldo Ferrari
3º  Waldir Hudson Barbosa / Maria Eveli Giani Barbosa
4º Alexandre Lopes Chaves / Pedro Coletta
5º Bevi / Fabiano Bonafe

4×4 Turismo
1º Edson Monaci dos Santos / Elianne Monaci dos Santos
2º Renato Martins / Regiane Martins
3º  Daniel Fonseca Manse / Mirella Kurata
4º Marcos Giannoni / Renata da Silva Oliveira
5º Luiz Renato de Rezende Lopes / Dc Bora Avila de Carvalho

4×4 Turismo Light
1º Lourenço Carvalho Lopes / Ana C Pecorati
2º Fábio de Mello Aleixo Machado / Pedro Aleixo Machado
3º Marcos dos Santos Costa / Mariana dos Santos Costa
4º Marcelo Nogueira Lete / Mauricio Rossi Bordin
5º Pedro Lelli Panizza / Aline Burdin Berigo

4×2 Graduados
1º Alcides Germano Filho / Rodolfo Azevedo Germano
2º Bruno Barijan de Vasconcellos / Matheus Figueiredo Crespo
3º Paulo Ricardo Denadai / Elaine Viel Denadai
4º Jose Higino Steck / Jose Ricardo E Silva Ramos

4×2 Turismo
1º Paulo Bianchi / Murillo
2º Ricardo Ongaro / Victor Hugo
3º Pedro Flório / Marcio Flório
4º Luis Carlos Gadioli / Vicente de Paula Neto

4×2 Turismo Light
1º Victor Freire de Oliveira / Bianca Magnabosco Pfeifer
2º José Affonso de Gaspari Silva / José Reinaldo de Campos Junior
3º Marcus Souza Guilhem Dorador / Rodrigo Primon Savazzi
4º Adriano Merkx / Johann Adrianus Reis Merkx
5º Vanilson de Oliveira / Jaqueline Menezes