A última etapa do Rally Dakar aconteceu neste sábado e foram 180 Km de trechos cronometrados entre Villa Carlos Paz e Rosário. Os carros largaram pela ordem da classificação geral, com Stéphane Peterhansel puxando a fila, e as motos largaram pela ordem inversa a classificação geral. Uma especial relativamente curta e nada complicada.

Este Rally Dakar foi para organização tão difícil quanto é para os competidores. A saída do Chile e na última hora do Peru, os efeitos do El Nino na Argentina, que levaram fortes chuvas a vários dias de prova, o grave acidente com os espectadores já no prólogo. Enfim foi difícil para eles também.

Só que no fim, foi o Dakar mostrou mais uma vez o que é o Dakar, cansativo, sem perdoar erros, sempre difícil e decidido nas dunas e trechos de areia.

Confira os vencedores do rally:

 

O título dos carros

Stéphane Perterhansel / Jean Paul Cottret (#302) confirmaram o que já haviam conquistado nos últimos dias, a vitória tranquila que só veio nas últimas etapas do rally. Hoje eles acabaram ficando na posição 13, onde apenas administraram a grande vantagem em relação ao Mini do Nasser Al-Attiyah / Matthieu Baumel (#300), e ainda ficaram com uma vantagem de 34m58s na geral. Com seu Peugeot 2008 DKR, a dupla conquista sua 12ª vitória dos franceses no Dakar, seis nas motos para o piloto e seis nos carros para a dupla.

Nasser Al-Attiyah / Matthieu Baumel terminam o rally na segunda colocação, com seu Mini e Giniel De Villiers / Dirt Von Zitzewitz, em seu Toyota, acabam na terceira colocação.

Confira algumas fotos dos campeões do Dakar 2016:

 

Classificação geral dos 5 primeiros carros do Dakar 2016
1)    302      PETERHANSEL (FRA) / COTTRET (FRA)       PEUGEOT       45:22:10
2)    300     AL-ATTIYAH (QAT) / BAUMEL (FRA)              MINI                45:57:08 a 00:34:58
3)    301      DE VILLIERS (ZAF), ZITZEWITZ (DEU)          TOYOTA          46:24:57 a 01:02:47
4)    315      HIRVONEN (FIN), PERIN (FRA)                        MINI                46:27:28 a 01:05:18
5)    319      POULTER (ZAF), HOWIE (ZAF)                         TOYOTA          46:52:53 a 01:30:43

Na etapa

A vitória na última etapa do Dakar ficou nas mãos de Sébastien Loeb / Daniel Elena (#314), que são os maiores vencedores de etapa nesta edição 2016 da prova. Foram quatro vitórias da dupla, nove vezes campeã do WRC que no início ganhou muita torcida e foco na mídia devido a excelente estreia no rally. A dupla da Peugeot superou Mikko Hirvonen / Michel Perin que esteve na liderança do dia durante grande parte da etapa. Nasser Al-Attiyah / Matthieu Baumel aceleraram muito durante a etapa e acabaram a etapa em terceiro.

 

Nossa torcida

Depois de 13 etapas do rally mais difícil do mundo, nossa torcida continuou com Leandro Torres / Lourival Roldan (#367) no UTV e João Franciosi / Gustavo Gugelmin (#384) no ASX. Ambos conseguiram cruzar a linha de chegada e estamos orgulhosos por isso.

 

Leandro Torres e Lourival Roldan terminaram na 57º colocação da classificação geral. A dupla do UTV Polaris RZR #367 ficou com a 3ª colocação na categoria T3.3 destinada aos UTVs.

Na antepenúltima etapa Torres e Roldan tiveram uma quebra na caixa de câmbio e por pouco não abandonaram a prova: “foi um dia daqueles intermináveis. Depois de ter dormido na especial enquanto trocavam a caixa de câmbio, pegamos uma especial de 430 km a uma temperatura de 45 graus e 200 km de fesh fesh. Fiz a besteira de jogar água na sapatilha com meia nomex . O ar quente que passa pelo radiador queimou meus dedos do pé direito de tão quente ficou a água. Hoje foi uma especial mais com a cara do Sertões e São Joaquim porém de 450km . Agora é ir devagar na última especial que tem só 180 km e seguirmos para Rosário”.

Muito emocionada na chegada a Rosário o piloto declarou: “primeiramente quero agradecer minha família que desde do primeiro momento me apoio neste projeto da minha esposa que não curte esporte de risco aos meus filhos que idealizaram esse projeto dizendo que eles teriam o maior orgulho do pai. Não posso deixar de agradecer a minha modesta e competente equipe me suportando esses 14 meses . Arena, Erley, Idali, alemão e por último o incansável experiente Lourival. Preciso agradecer Carlinhos que mesmo sabendo do momento difícil que passei profissionalmente a 1,5 mês do Dakar sempre me colocou para cima . Ao Sandro Barg que foi pessoalmente nos visitar e levar energia positiva em largada e chegadas das especiais e a todos que mandaram mensagens positivas. Obrigado a todos pela ajuda neste projeto”, disse Leandro Torres.

 

João Franciosi / Gustavo Gulgelmim que competiu no ASX Racing #384 da Mitsubishi Ralliart Brasil chegou ao fim da Dakar na posição 58 e superou todas as dificuldades: “É um sonho que se realiza a cada dia. Tudo o que fizemos se resume a esta chegada”, vibrou Franciosi. “Foi o meu primeiro Dakar e conseguimos chegar ao fim. É uma satisfação muito grande. Estou muito feliz por ter terminado, é um sonho tornado realidade”, disse.

A dupla superou as mais diversas dificuldades em 14 dias de competição. Foram condições inóspitas percorrendo desertos, estradas, montanhas e serras. Na Bolívia, enfrentaram a neve e até chuva de pedra. Pelo interior da Argentina, muito pó, montanhas e temperaturas que quase chegaram aos 50º, tornando a prova ainda mais desgastante e chegando quase ao limite físico, e dos equipamentos. Portanto, por aqui se percebe que chegar ao fim já é um grande troféu para a carreira de qualquer piloto que vá ao Dakar:

“Mesmo com os problemas que foram aparecendo, nós motivamos-nos cada vez mais. Desistir é que jamais. Sempre que chegávamos à noite ao acampamento a equipa estava feliz, animada por termos concluído mais um dia. Foi dessa maneira que conseguimos chegar ao fim. As dificuldades foram-nos dando ainda mais motivação. Fazer as dunas à noite foi uma autêntica loucura, atascámos várias vezes e achámos que não íamos conseguir. Mas o espírito do rali é mesmo isso. Ninguém vem para um Dakar à espera de não encontrar dificuldades. E ao cruzar a linha de chegada, foi muito bom, foi uma enorme descarga de emoção, toda a equipa abraçando-se, comemorando”, disse Franciosi.

“Em 2014 realizei o sonho de ir ao Dakar e agora terminou a prova. Foi duríssimo. Estou muito feliz e, ao mesmo tempo, cansado, desgastado. Nos últimos dias chegámos ao limite do corpo”, comentou Gustavo. “Mas, de certeza, além do sonho de todos que correm o rali, que é fazer o Dakar, estou a realizar o sonho de chegar ao fim. Terminar esta prova é algo para a vida toda. Superação, força, dedicação e profissionalismo”, completou Gustavo Gugelmin.

Etapa13 - Brasileiros

Fim de rally… ou quase isso

Stéphane Peterhansel / Jean Paul Cottret venceram ontem o Dakar, mas podem perder o titulo conquistado por conta de uma recurso imetrado pela X-Raid sobre um suposto abastecimento ilegal da dupla francesa durante a prova.

Peterhansel / Cottret conquistaram ontem a sua 12ª vitória do piloto no Dakar e a sexta da dupla nos carros, uma vitória indiscutível na pista, onde a Peugeot foi superior durante toda a prova, vencendo 9 das 12 especiais disputadas, mas que pode mudar de mãos no próximo mês, tudo por conta do protesto da X-Raid, que entende que os franceses abasteceram o seu Peugeot 2008 DKR numa zona não autorizada.

O recurso apresentado durante a prova foi julgado improcedente pelos Comissários Desportivos da prova, que decidiram não penalizar a dupla da Peugeot. Por conta dessa decisão, a X-Raid revelou ter apelado para o Tribunal de Apelo da Federação Francesa (FFSA).

O Código Desportivo Internacional da Federação Internacional do Automóvel (FIA), obriga a que a Autoridade Nacional do Desporto tenha que tomar uma decisão num máximo de 30 dias e vale destacar que a pena prevista, caso sejam considerados culpados deste abastecimento ilegal, vai de seis horas de penalização até à desclassificação da dupla.

A Peugeot defendeu-se citando o artigo que refere a “a assistência está autorizada nas neutralizações”, mas Peterhansel foi chamado a depor. Sven Quandt, líder da X-Raid, alega que foi dito no briefing, que os carros não poderiam abastecer durante a etapa, só as motos e os quads.

Portanto a X-Raid não ficou satisfeita com a decisão e anunciou o apelo. Agora resta esperar pela decisão final do tribunal, lembrando que qualquer eventual penalização maior do que 34m58s dá a vitória a Nasser al Attiyah / Matthieu Baumel e à X-Raid.

Fonte: Blog do Deco

 

Agradecimentos

Fica aqui também nossos agradecimentos ao Guilherme Spinelli e Youssef Hadad que acabaram não tendo muita sorte neste Dakar mas fizeram a diferença na equipe Mitsubishi Petrobras além de manter todos muito bem informados do que estava acontecendo no rally.

Ao Deco Muniz pela excelente cobertura do rally, o que nos ajudou muito a também compartilhar informações com nossos leitores.

Ao Detlef Altwig pelo trabalho na equipe Mitsubishi Petrobras e pelos seus vídeos que matou muita curiosidade do que é o mundo Dakar.

E a todos os brasileiros que também participaram desta incrível aventura, seja competindo (Marcelo Medeiros, Jean Azevedo, Guilherme Spinelli e Youssef Hadad, Jorge Wagenfuhr e Joel Kravtchenko), seja tirando fotos (Sanderson Pereira), ou passando madrugada adentro consertando os carros, moto, quadri e utv.