É… mais um dia triste para nós no rally Dakar. Hoje foram 2 brasileiros fora da prova e os portugueses, da equipe Mitsubishi Petrobras.

Hoje, a especial segue em direção à Bolívia, em Uiuny, e pelo caminho, montanhas. As bem altas… muuuito altas. Os competidores passaram dos 4.600 metros de altitude, a mais alta da história do Dakar. Foram 327km de trechos cronometrados de estradas duras e baixas temperaturas. E foi exatamente isso que pegou no rally…

Carros

Os portugueses Carlos Sousa e Paulo Fiuza (carro 309),  após o WayPoint 05 (WP que tanto escrevemos aqui) pegaram uma chuva de granizo, que deixou as estradas sinuosas da região muito lisas, e acabaram descendo uma ribanceira de 8 metros o que impossibilitou os competidores de voltarem na prova. E para piorar mais ainda, as baixas temperaturas fizeram que eles, apenas de macacão, começassem a congelar com o frio, o que fez com que a organização os resgatassem de helicóptero até o acampamento… Fim de Rally para eles.

Confira o que disse o piloto Carlos Souza.

“A especial estava a correr-nos muito bem. Tínhamos já ultrapassado vários carros e seguíamos a um bom ritmo. Só que de repente, começou a chover intensamente, depois a cair granizo e o vidro da frente embaciou totalmente, deixando-nos quase sem visibilidade para a estrada. Abrandei para o Paulo Fiuza poder limpar o vidro, só que em menos de dois segundos estávamos com o carro fora de pista, junto a um precipício e pendurados em duas pedras. O João Franciosi, nosso colega de equipa na Mitsubishi Brasil, ainda nos tentou ajudar, só que na posição em que o carro ficou só mesmo com a ajuda de um caminhão.

Tentamos pedir novamente ajuda, mas ninguém quis parar… Vimos o tempo a passar e a temperatura a baixar abruptamente. Com zero graus e a 4.000 metros de altitude, começamos a passar um pouco mal… Foi então que os médicos da prova chegaram e insistiram para abandonarmos o local, porque não nos deixariam passar ali a noite. E assim, viemos de helicóptero até ao acampamento, tristes e desolados por este desfecho. Mas realmente, este não era mesmo o nosso Dakar”

#384 João Franciosi / Gustavo Gugelmin perderam algumas posições nos primeiros WPs, devido a um pneu furado, mas recuperaram 9 posições até o final da especial, chegando na P28. O dia foi bom para os brasileiros que chegaram na Bolívia inteiros e cumpriram muito bem a etapa maratona do Dakar, e seu ASX está pronto para os mecânicos deixarem ele brilhando para o dia de amanhã.

Confira um video da dupla na chegada na Bolívia:

 

#367 Leandro Torres / Lourival Roldan em seu UTV completaram a prova ganhando 21 posições desde sua largada, terminando na P65. Fico imaginando se para os carros estava ruim, frio, chuva, neve… imagina para eles em seu UTV? Guerreiros, parabéns por mais esta etapa vencida!

Etapa5_UTV

E quem continua rindo a toa é o Loeb. Sébastien Loeb / Daniel Elena dominaram a etapa hoje e faturaram mais um primeiro lugar, a terceira vitória em quarto especiais. Os pilotos da equipe francesa voltaram a dominar a prova ficando mais uma vez com as três primeiras posições do grid de chegada.

Nasser Al-Attiyah / Mattieu Baumel voltaram a ser o melhor MINI amargando mais uma quarta posição, ou seja, são os melhores depois dos Peugeots. O piloto campeão do ano passado declarou que é impossível acompanhar o ritmo dos carros franceses, que neste ritmo correm o risco de vencer todas as especiais da prova.

 

Quadri

A pior notícia do dia foi que o maranhense Marcelo Medeiros sofreu uma queda no início da especial de hoje. O piloto recebeu assistência da equipe médica no local, e houve uma certa demora para definir o real estado do piloto. Ele que vinha em segundo na geral e era o brasileiro com maiores chances de faturar o título no rally, mas infelizmente quando a notícia chegou, percebemos que era fim de prova para Medeiros. Infelizmente, ele sofreu uma quebra na clavícula e foi transportado pelo helicóptero da organização ao hospital, terminando assim de modo prematuro sua participação. Uma pena mesmo. Esperamos uma breve recuperação para Medeiros e que volte a acelerar novamente muito em breve.

 

Motos

 

Jean Azevedo foi responsável por duas emoções em nós hoje. Tristeza e Orgulho. Tristeza porque logo cedo ele mesmo deu a notícia que estava abandonando o Rally Dakar. 🙁 E Orgulho porque abandonou a prova pois cedeu seu radiador para um companheiro de equipe Honda, que tinha mais chances reais de chegar na frente do que ele. Uma decisão desta não deve ser fácil, mas que nos deixou orgulhoso, deixou. Confira o que ele mesmo disse em seu Facebook:

“Amigos, infelizmente o meu tombo na 2ª etapa me tirou as chances de um bom resultado neste Dakar. Trabalhei muito ao longo do ano de 2015 para estar na melhor forma nesta edição e a minha equipe Honda me deu todo suporte para eu chegar aqui competitivo, mas Rally é assim mesmo, pode acontecer de tudo!

Hoje meu companheiro de equipe Pizzolito estava com problemas no seu radiador e como é uma etapa maratona não temos apoio nem pecas da equipe, passei meu radiador para ele continuar já que esta numa posição melhor que a minha e com mais chances de ajudar a Honda chegar ao título deste Rally, com o meu tombo fui para ultima colocação e estava tentando recuperar posições mesmo com as consequências físicas do acidente, somos um time e agora vou ficar na torcida para Honda levar este título!!”

É meus amigos… atitude como esta é muito difícil. Você se prepara o ano todo, sonha todos os dias com a Copa do Mundo dos Rallys, onde o mais importante para muitos é terminar a prova simplesmente, e nem sempre chegar na frente, e tomar uma decisão em abandonar a prova para ajudar seu parceiro de equipe não é para qualquer um. Depois do Ayrton Senna na F1, creio que nunca mais vi este tipo deFair Play em esporte nenhum.

Orgulho deste cara. Parabéns por sua atitude Jean. 🙂

Etapa5_Jean