A Etapa 7, que marca o regresso à Argentina, trouxe travessias de rios, com a organização já tinha advertido que os pilotos irão “chegar com os pés molhados”, mas felizmente o regresso à Argentina trouxe também algum alívio no que diz respeito às temperaturas, uma vez que para Salta estava previsos 28ºC de temperatura máxima e 18º de mínima. O trajeto foi de Unuyi até Salta com 330 km de especial.

Os brasileiros

Não foi uma especial muito boa para os brasileiros João Franciosi / Gustavo Gugelmin com seu ASX (#384), mas felizmente eles continuam na prova, e hoje, domingo, dia de descanso, ainda estão no deslocamento para o bivouac desde a madrugada. O que aconteceu foi que  por volta do WP03 e WP04 eles tiveram um problema em seu ASX e passaram pelo WP04 com 1 hora de atraso em relação ao primeiro colocado naquele momento. Todos apreensivos pelo que aconteceu e foram mais 3 horas e 43 minutos para vermos surgir seu próximo tempo no WP05. Estava confirmado… algo errado tinha mesmo acontecido, mas estavam andando. As informações são bem ruins para quem acompanha de longe, nem mesmo a comunicação via satélite dos competidores estavam funcionando direito. Só tivemos a notícia que terminaram a especial e estão se deslocando agora pela manhã. Franciosi e Gugelmin passaram a madrugada até as 04:30hs trabalhando no seu carro para que pudessem continuar este deslocamento, então hoje o dia não vai ser de descanso não, mai ver de muito trabalho para equipe Mitsubishi Petrobras.

Etapa7_ASX

Nossa dupla Leandro Torres / Lourival Roldan (#367), no UTV Polaris, completou a especial ontem muito bem e ganharam 4 posições durante o dia. Em mensagem, Leandro Torres comenta o dia de ontem:

Ontem entre as 2 especiais, tínhamos que deslocar por um rio seco que obviamente não estava seco. Quase não passei, e os 3 primeiros caminhões  que nos ultrapassaram na especial estavam atolados no rio. E para piorar tinha um Waypoint dentro do rio. Sorte que quando cortamos o rio conseguimos pegar o WP pela estrada que beirava. Fizemos as 2 especiais e viemos embora para Salta. Quem parou para abastecer ou beber algo acabou se atrasando mais ainda devido a uma ponte que foi fechada devido as enchentes. Quando chegamos em Salta, só 10% do rally já tinham terminado o deslocamento final.

Etapa7_UTV

Na frente

A briga continua entre os 4 de sempre. O dia começou com  Sébastien Loeb / Daniel Elena (#314) na frente segurando sua posição até o WP06. Enquanto isso Carlos Sainz / Lucas Cruz (#303) que largou na terceira posição, foi ganhando tempo e chegou em primeiro, na frente de Loeb, que teve 2 pneus furados e seu acelerador travado. O destaque ficou paraNasser Al-Attiyah / Matthieu Baumel (#300) que largando na P05, ganhou uma posição logo no início e foi paciente até o final da especial para no último WP assumir a terceira posição, quebrando a sequencia dos três primeiros lugares entre os Peugeots, ficando na frente do Senhor Dakar, Stéphane Perterhansel / Jean Paul Cottret (#302)

Etapa7_Loeb

Loeb e Elena trocando pneu de seu Peugeot durante a especial

 

Destaque do dia

E o destaque do dia foi para o português Paulo Gonçalves, equipe Honda de Motosque ao avistar seu concorrente austríaco da KTM, Matthias Walkner, caído no meio da especial, não teve dúvidas, parou sua moto para ajuda-lo. Matthias sofreu uma queda violenta e fraturou o fêmur e não conseguia chegar até sua moto para acionar o botão de resgate. Paulo ficou junto do austríaco até que o resgate chegasse e o levasse com segurança para o posto de saúde da organização.

Confira aqui o momento deste emocionante resgate.

É por estas e outras que gostamos mais de rally do que de futebol.