O Rally dos Sertões é muito mais que uma competição. A caravana da prova também acelera a economia das cidades por onde passa e realiza ações sociais voltadas à saúde, lazer e esportes. E deixa como principal legado a oportunidade para que as localidades possam revelar suas potencialidades turísticas. A largada ocorreu em Goiânia, dia 3, e a chegada será em Palmas, no dia 10.

Junto com os carros, motos, quadriciclos e UTVs, vão cerca de 2.500 pessoas, que integram organização, equipes técnicas, apoios e imprensa. “O Rally dos Sertões movimenta em torno de R$ 50 milhões. É muito mais que uma prova off-road, pois gera empregos diretos e indiretos, injeta dinheiro na economia e, principalmente, deixa como legado a apresentação das cidades para um público selecionado e formador de opinião”, afirma Marcos Moraes, diretor-geral da Dunas Race, organizadora do Rally dos Sertões.

Os setores de hospedagem e alimentação são os maiores beneficiários. “Todas as vezes em que o Rally dos Sertões passa por Palmas é sempre um sucesso. Neste ano que a prova termina aqui na nossa cidade, será ainda melhor. Vai alavancar o turismo e o comércio. Para nós, esta será a melhor edição de todas, pois fomos agraciados com o encerramento e premiação”, afirma Edmilson Ferreira Caminha, gerente do Hotel Rio do Sono, na capital do Tocantins. Há um mês da largada ele já estava com lotação completa para o fim de semana de encerramento da competição.

“Para Palmas, o impacto do Rally dos Sertões é sempre positivo. É um evento muito importante para todo o trade, incluindo restaurantes e bares. Para nós, hoteleiros, é muito importante”, afirma Nilce Gama de Souza, vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Tocantins.

Pela 14ª vez Goiânia foi o ponto de largada do Sertões e a capital já se habituou a receber o público extra. “O Rally dos Sertões movimenta muito a economia local das cidades. Todos os hotéis registram lotação máxima neste período”, conta Adriano Artoni, gerente de vendas do Hotel Comfort Suites Flamboyant.

Em municípios menores, o impacto ainda é maior. Em Posse (GO), a cidade se mobilizou para receber a prova e o resultado foi além do esperado. “Os apoiadores ficaram muito satisfeitos. Principalmente o setor de alimentação, que registrou um movimento 40% superior aos dias normais. Foi um acontecimento para a nossa cidade”, afirma Genilson Neris dos Santos, gerente administrativo da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Posse.

Em outras cidades, como Padre Bernardo (GO), e Cavalcante (GO), restaurantes e lanchonetes ficaram lotados durante a passagem da caravana. Teve até posto de combustíveis que vendeu todo o volume que tinha armazenado.

Cartão de visitas
Além do consumo imediato, fica a possibilidade de visitas futuras. “É uma oportunidade de apresentar os atrativos do Tocantins, na expectativa de que esses sejam incluídos em futuros roteiros turísticos desse público”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura do Estado, Alexandro de Castro.

O prefeito de Ponte Alta, José Aparecido, tem pensamento semelhante. “Nossa expectativa é das melhores, pois o Sertões vem para privilegiar o nosso município em termos de divulgação”, afirma. A cidade, penúltima no roteiro do Sertões, tem 8.500 habitantes. A pecuária e o turismo são suas principais fontes de renda.

O Rally dos Sertões tem patrocínio da Honda, Mitsubishi e Outback. Apoio de Pirelli, Cidade Alpha Goiás (empreendimento da Alphaville Urbanismo) e Guaraná Antarctica. Apoio institucional do Governo do Tocantins e Governo de Goiás, através do Detran-GO, com o Programa Balada Responsável.

.

.

Informações divulgadas pela assessoria de imprensa.