Hoje lançamos a coluna da Aline Ben, uma jornalista apaixonada pelo mundo Off-Road que faz um trabalho muito legal de divulgar, como assessora de imprensa, equipes e provas de rally pelo Brasil a fora. Confira ai!

Carros coloridos, adesivados e preparados para enfrentar terrenos extremos, poeira, água e o que vier pela frente. Competidores focados em superar seus próprios desafios e os seus adversários. O Rally ainda é um esporte que parece destinado a uma pequena parcela da população mais favorecida e distante dos grandes problemas sociais causados pelas desigualdades do Brasil. No entanto, poucos sabem que o esporte é um dos mais engajados diretamente em ações sociais, auxílio em momentos de enchentes, atividades de inclusão social, entre outras iniciativas que quem está acostumado com as competições já conhece muito bem.

Para ressaltar um pouco esse lado social do esporte, vou descrever três situações recentes que exemplificam bem esse lado do Rally no Brasil. Quem estiver lendo a coluna eu convido a comentar sobre mais atividades do gênero espalhadas em competições pelo país a fora. Tenho certeza que as iniciativas são incontáveis e nem me atrevo aqui a tentar citar todas elas. A ideia é apresentar um pouco desse lado social do Rally para quem não conhece muito o esporte e acha que ele é indiferente e distante da realidade da maioria dos brasileiros.

Vamos começar pelo evento mais conhecido. O Rally dos Sertões é hoje em dia a maior competição do gênero no Brasil e se destaca também com suas atividades sociais. Na edição de 2017, enquanto pilotos e navegadores percorriam cerca de três mil quilômetros de estradas e muita poeira pelos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, um grupo de voluntários do S.A.S. Brasil (Saúde e Alegria nos Sertões) atuava para levar saúde, esporte e diversão em comunidades ao longo do trajeto. No total, a iniciativa executou 475 cirurgias (ginecológicas, odontológicas e dermatológicas) e distribuiu 492 óculos, entre outras ações realizadas em três cidades.

Outra competição de destaque no Brasil é a Mitsubishi Motorsports, que conta com dez etapas acontecendo neste ano. Só para citar dois momentos do evento vamos lembrar primeiro da etapa de Penha realizada em junho, quando a ação social Mitsubishi Pró-Brasil arrecadou seis toneladas de alimentos e 1.100 itens de higiene com as inscrições. Na ocasião, os próprios competidores se organizaram para arrecadar roupas e itens de primeira necessidade para as pessoas que foram afetadas pelas chuvas e deslizamentos que ocorreram na época em Santa Catarina. Além disso, um grupo de fãs da marca, o Triton 4×4 Club, se dispôs a fazer a entrega das doações diretamente nas cidades afetadas. Só para ter uma ideia, na sétima etapa da competição, realizada em Setembro em São José do Rio Preto, as inscrições para o Rally de Regularidade reuniram mais 3,7 toneladas de alimentos e brinquedos para instituições de caridade.

Também no Rio Grande do Sul, acontece a Copa Trancos & Barrancos, onde cada carro inscrito doa 15 quilos de alimentos não perecíveis. A iniciativa faz parte do projeto “Ação Off-Road Solidária” que ocorre em todos os eventos promovidos pela equipe Trancos & Barrancos e já realizou diversas atividades de inclusão social, distribuição de doações e auxílio em enchentes.

A iniciativa de arrecadar doações de alimentos e brinquedos em inscrições das competições de Rally é algo já corriqueiro e os pilotos e navegadores já estão acostumados com as solicitações da organização, além de muitas vezes encabeçarem as iniciativas sociais. A quantidade de rallys solidários pelo Brasil cada vez mais se multiplica e já vira uma marca do esporte. É um lado das competições pouco conhecido de quem observa de longe, com olhar desconfiado, creditando ao Rally o estereótipo de esporte de rico, indiferente e pouco relacionado com as realidades do Brasil.

.

E vocês? Conhecem mais iniciativas do gênero e histórias bacanas que envolvem o Rally e ações solidárias? Contem aí nos comentários ou me escrevam: comunica4x4@gmail.com